cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 
Highlighted

Resposta ao "VK Revolta"

Ir para a solução

Edit-intro: Agradeço de coração todos que leram, comentaram, curtiram e compartilharam o post permitindo que essa postagem chegasse diretamente ao Revolta. Agradeço muito também a resposta dele, quem tiver interesse procure nos comentários, deixei a minha resposta a resposta dele em destaque. Espero que esse debate dê ainda mais frutos e prosperidade para o nosso cenário.

https://youtu.be/WsQ03eGn14A?t=218

 

Segue o vídeo no tempo da entrevista com o Revolta de semana passada para o MaisEsports que gerou um certo debate em volta do que foi dito por ele. Desde então tenho refletido cada dia um pouco mais sobre isso e aqui deixo o meu depoimento pra esclarecer alguns pontos que talvez nem todos pararam pra analisar.


>> Antes de tudo, esse texto não tem viés agressivo e serve apenas para abrir o debate e apontar vertentes que ainda não vi terem tal direcionamento. <<

 

O fato é: Revolta está se queixando de que o jogo é muito focado em estratégias e jogadas "macro" e que a mecânica individual de cada jogador e as jogadas "micro" não são muito efetivas. Visto dessa forma crua leva muita gente a concordar com ele, mas precisamos contextualizar e entender toda amplitude desse cenário.

 

Todo esporte tem seu desenvolvimento e seu aprendizado, podemos comparar esse momento com o futebol, por exemplo. Antigamente, jogadores como Pelé, Maradona, Garrincha eram ovacionados e se destacavam por "carregar" o time com jogadas individuais maravilhosas que encantavam o mundo. Durante boa parte da história do futebol equipes jogavam na formação 4-2-4, era o "meta" do futebol na época, um meio-campo vazado, jogadores menos exigidos fisicamente e uma certa falta de tecnologia não só na árbitragem, mas também na produção das bolas, chuteiras e outros equipamentos.

Hoje em dia todos nós vemos o fruto da evolução desse esporte como o tic-tac de Guardiola, a disposição tática da Alemanha na Copa do Mundo do Brasil, entre outros aspectos atuais.

 

No LoL nós podemos aplicar o mesmo conceito. Um tempo atrás podíamos ver jogadas geniais, jogos sendo carregados por um jogador excelente e etc, mas o esporte está sempre em evolução e a parte tecnológica e tática é importante pro avanço da categoria. Isso não quer dizer que a mecânica não seja impactante, isso quer dizer que pra ela ser impactante ela precisa de objetividade e inteligência. Já vi muitos jogadores de futebol habilidosos com a bola, mas que não sabem o que fazer dentro de campo pra cooperar com o seu time pra chegar na vitória, no gol, na jogada objetiva. Na época de Pelé e Maradona era "mais fácil", não existiam estudos e análises de defesa e posicionamento como se existe hoje em dia e mesmo assim ainda há criatividade e brilhantismo como vemos em Messi, Neymar, Cristiano Ronaldo e etc... e isso também acontece no LoL.

Não é a toa que toda semana temos ótimas jogadas no The Penta, ótimas gameplay mecanicamente lindas e empolgantes, mas cercadas de estratégia, tática e brilhantismo como em qualquer esporte, não deixamos de ver lindas arrancadas e enterradas no basquete, por exemplo, mas ainda assim é um jogo coberto de estratégias e isso vale pra qualquer esporte.

 

Você quer ver um espetáculo de habilidade? Street tá aí pra isso, QUASE NUNCA você vai ver um jogador fazer embaixadinhas, ou travar a bola atrás do pescoço ou dar uma cambalhota com ela no ar, igualmente no basquete existem regras que impedem diversas jogadas aplicadas no basquete de rua que são lindas pro espectador, mas mesmo assim ninguém reclama disso na NBA e ela continua firme e forte, por que no  LoL seria diferente? O princípio é o mesmo, temos espaço pra ver muitas jogadas espetaculares, mas não é dentro do cenário competitivo que apesar disso ainda vai ter jogadas individuais espetaculares indepentende de quantas vezes você jogue com o mesmo campeão, apenas por determinado jogador ser BRILHANTE! Consigo inumerar vários jogadores que apresentam atuações fantásticas diversas vezes com vários campeões sem necessariamente estarem treinando apenas com ele e que o campeão não precisa ser complexo para executar uma jogada bonita. (Só ver o que o próprio Shrimp fez contigo de Seju naquele Q+ULT na cara do seu Skarner que você ficou sem reação e nem foi uma play de abate, mas foi parar no The Penta pela beleza da execução) Apesar das estratégias, rotações e táticas o jogo sempre vai ser decidido na mecânica, na sua capacidade de dar um dive perfeito, bom flash, uma boa ult.. tudo isso é mecânica, assim como o futebol depende do bom passe, do bom drible, da boa finalização, da boa cobrança de falta, de escanteio e etc, assim como no basquete você precisa acertar a cesta ou nada vai adiantar correr pela quadra e saber se posicionar e receber todas as melhores bolas.

 

O LoL é um esporte relativamente novo comparado a tantos outros esportes tradicionais e em comparação podemos ver similaridades que você deveria reparar invés de apontar um desapontamento que não tem fundamento. Tome isso como base, entenda a competitividade, a beleza de ser inteligente. Ser habilidoso é só uma qualidade, ser um gênio é saber usar todas as suas qualidades pra se tornar o melhor jogador possível.

 

PS.: Não me conformo com essa onda de pro-player e caster dizendo que o lol é muito complexo e que o público não entende metade do que tá acontecendo. Se não entende é porque ninguém se dá o trabalho de explicar ou desenvolver isso, a audiência merece respeito invés de ser constantemente chamada de "burra" de forma "educada", o LoL não é tão complexo assim, falta força de vontade de abrir o conhecimento pro publico e trabalhar pra melhorar o servidor. Depois nego fica tomando rage de gringo dizendo que Pro-player BR não joga soloQ enquanto esses mesmos pro-player BR dizem que soloQ é uma merda, mas não usa sua influência pra mudar nada nem desenvolver nada. É isso.

 

Edit1: Ele disse também que se um jogador não quiser ganhar quatro não ganha, há um porém aqui. Se um jogador for muito bom ele sobe fácil independente disso, pois nos elos mais baixos é relativamente simples carregar partidas já que você se aproveita da falta de conhecimento dos adversários e aí é o contrário, um jogador carrega quatro se ele tiver nível pra isso. Nos elos mais altos é onde realmente acontece o que ele diz, mas aí entra a participação dos jogadores high elo na questão do conhecimento de jogo. Muita gente diz que mesmo em elos altos muitos jogadores não tem conhecimento, mas há uma desvalorização da fila flex e uma exaltação da fila solo/duo onde prioriza essas qualidades de carry em detrimento da comunicação e trabalho em equipe, então se os próprios jogadores exaltam esse tipo de gameplay como você pode criticar a desenvolvedora do jogo que se esforçou pra habilitar uma fila de TEAMWORK e que foi negada pela comunidade? Mas essa é outra discussão. Obrigado por ler até aqui.

1 SOLUÇÃO ACEITA

Soluções aceitas
Highlighted

Olá, Revolta! Obrigado por prestigiar meu post, fico muito feliz com a atenção e o carinho da sua presença.

 

Sobre esse ponto que você destacou, eu entendo perfeitamente o lado das mudanças abruptas e concordo contigo sobre o quão prejudicial é o "timing" delas no meio da season como o MicaO destacou perfeitamente bem várias vezes sobre isso; e eu ainda aproveito esse espaço pra parabenizar a Riot por admitir o erro e voltar atrás como fez em comunicado de vídeo recente sobre o retorno das mudanças grandes em patch de mid-season e pré-season. É preciso ter coragem pra admitir erros e ainda mais uma empresa do tamanho dela e muita gente está sempre pronta pra tacar pedra nas coisas e poucas se dão a humildade de bater palmas pra tais atitudes.


A minha colocação foi na forma geral como você colocou a situação de "micro x macro" e da maestria com campeões específicos porque eu acredito que pra todos os espectadores, e até para profissionais, termos diversidade estratégica é importante. Não é legal num jogo que tenha mais de 100 campeões serem usados os mesmos 25-30 em todos os jogos competitivos e essa parte de aprender campeões diferentes eu sinceramente não vejo tanto problema, vide Gigabytes Marines que deu um lapso de encanto no Mundo do LoL, mas parece que ninguém aprendeu nada com eles. Um time sem recursos conseguiu fazer antes desse meta e antes de todo mundo acreditar nessa visão de diversidade estratégica e divisão de recursos (gold/XP) de uma forma pioneira e que se outros times com mais capacidade (até a própria Coreia) poderiam ter observado, analisado e efetivado de maneiras ainda mais promissoras e infelizmente não aconteceu. Mas como dito, é indiscutivelmente melhor poder desenvolver esses valores com o tempo de uma mid-season/pré-season, nesse ponto não há discussão.


Bem, mudando o assunto e indo pra um ponto além do objetivo do post...

Eu comentei sobre o ponto que você falou de um jogador estragar o jogo de quatro e a falta de balanceamento dos elos mais altos, pois muitos jogadores bem ranqueados não tem tanto conhecimento. Eu abordei isso e sugeri como solução a abordagem dos profissionais em relação a cultura da soloQ ser repensada, é claro que não será do dia pra noite, mas é preciso ser colocada em xeque. Lembro das vezes que alguns jogadores abriram suas streams transmitindo algumas in-houses (sei que existe divergências sobre esse modo de treinamento entre os proplayers) um tempo atrás e com certeza muito espectadores gostaram de acompanhar e eu como um coach iniciante e estudante do jogo no cenário amador de League procurando o meu lugar ao Sol esperaria dos meus jogadores e dos exemplos para esses jogadores e dos futuros jogadores que eu posso liderar um dia no CBLOL uma postura de literalmente de EXEMPLO. Parece que a comunidade ainda não entendeu a estrutura e o profissionalismo por qual o esporte eletrônico passou e em suas devidas proporções vocês são Neymar, Coutinho e Jesus do LoL para várias crianças com esse sonho e jogadores mais novatos que estão entrando no cenário e eles PRECISAM aprender com vocês, é uma responsabilidade SIM, a diferença é que no LoL você constantemente joga uma "pelada de fim de semana" todo dia com esse novato que quer viver o sonho que você está vivendo, então sim, proplayer precisa aprender a lidar com a situação porque o abismo que existe no futebol entre o profissional e o menino da favela que sonha com Real Madrid é uma linha muito fina e tênue no LoL onde o menino de Manaus é um prodígio e pode tomar um lugar de destaque na principal competição nacional porque o cara simplesmente é MUITO BOM! Então precisamos entender sim essa evolução, lapidar e esculpir a ideia do que é ser "profissional" não só no trabalho, mas na mídia e dentro do jogo fora do esporte. Por isso toquei no ponto com uma pincelada rápida da nossa cultura de soloQ no fim do post, o fato da maioria dos jogadores quererem jogar solo, quererem colocar esse valor na mecânica, desbancar o projeto da Riot da fila flex na season passada porque é muito difícil jogar solo contra um time de proplayers fechado. A fila challenger deveria ser praticamente uma in-house todo jogo onde esses jogadores não-proplayers poderiam se desenvolver com esse contato e experiência, aqueles mono-champ que não querem evoluir seriam naturalmente afastados dessas posições de elos altos por não aderirem a cultura que seria estabelecida de valores de equipe e trabalho conjunto.
Enfim, o ponto é que sobre isso a culpa não é da Riot, ela até tentou, mas não só aqui no Brasil como no resto dos servidores teve um severo desprezo pela fila flex e seus princípios. Apesar disso, a soloQ coreana é boa porque existe uma cultura onde se valoriza pontos parecidos com a ideia que a flex queria trazer, mas não chega a mesma altura. Eu espero muito que o voice chat abra mais portas, acredito que seria uma revolução no jogo. Hoje, infelizmente, ele só funciona pra grupos na mesma queue, mas isso na flex da season passada seria algo incrível. Pena que ela seja tão desvalorizada e por isso seja uma fila fraca porque as pessoas costumam inverter isso, ela não é desvalorizada por ser fraca, ela é fraca por ser desvalorizada e seria ótimo ver mais streams de fila flex com muitos pro-players, comunicação e mais jogos parecidos com in-houses para todos os espectadores, amantes do jogo e fãs de vocês!

 

Edit1: Quero deixar claro que sobre esse tema é só uma forma de pensar pessoal e sugestão sobre o que acho importante nesse aspecto sobre esse assunto, mas é complicado ainda formar um conceito sobre isso por enquanto porque é uma questão complexa. Podem haver vários problemas dentro do que eu falei, com certeza, mas o trabalho deve ser colaborativo e aproveitar o máximo de ideias possíveis pra agregar valor de como proceder e evoluir com isso é a saída.


Att, Lion.

Ver Resposta em Destaque no post original

11 RESPOSTAS
Highlighted
Arauto
Arauto

Bom texto.

Os argumentos são precisos e tem um bom engajamento, já que você comparou oa estratégia do Macro/Micro com o Futebol.

Creio que parte de que você disse está certissima, desde as estratégias até os os pro players.

Principamente na parte dos pro players, que realmente são a escória do servidor, que realmente não mereciam estar onde estão, pois além de não jogarem para vencer, simplesmente são como um cancer que faz uma ou outra play bonita e são endeusados eternamente sendo que eles nem são tão bons assim.

Temos ótimos exemplos de como o servidor se tornou um cancer com os próprios pro players, como Yoda, Brtt, Hastad, Kalec. (Coloquei hastad, mesmo sabendo que ele não é pro player, mas mesmo assim é um cancer.)

 

Highlighted
Tropa
Tropa
Gostei muito do texto, bem elaborado e pensado conforme dito. GG's pro Texto.
Quem fez tem uma boa cabeça e sabe utilizar os argumentos. Upup
Highlighted
Ótimos argumentos e pontos levantados. A comparação com outros esportes (Principalmente o futebol, que é muito conhecido por nós brasileiros) facilita o entendimento de jogadores ignorantes (Não de forma pejorativa, mas pela falta de conhecimento).

É passado para nós, do BR, que a beleza da play está na solo kill, por que uma jogada em equipe não tão bonita como a jogada individual? Por que as estratégias não são tão valorizadas como o quão os players são bons mecanicamente? A variedade de estratégias da Marines foi o que nos chamou tanta atenção ano passado e, mesmo assim, o Levi sempre era o centro das atenções pela sua mecânica individual.

O jogo já foi mais decidido pela mecânica, sim, mas não foi ela que decidiu diversos confrontos na história de League. Os jogadores do NA sempre são elogiados pela mecânica, mas nunca conseguem bons resultados internacionalmente. O primeiro mundial não foi decidido na mecânica (e olha que foi a temporada mais propícia para que o micro fosse o mais essencial), ele foi decidido pela formação usada. Sim, as composições "tradicionais" com atiradores e suportes no bot, magos no mid e etc, vieram do meta game criado pelos europeus. O maior time de League of Legends, até hoje, não tinha como o maior diferencial a mecânica. A SKT, com exceção do Faker e do MaRiN (em 2015), não teve os melhores jogadores, mecanicamente, de suas respectivas rotas, eles sempre utilizaram do conjunto, do trabalho em equipe, como sua maior "arma", mas isso não os impedia de brilhar mecanicamente.

Ótimo texto, espero que mais pessoas vejam, leiam, compreendam e evoluam.
Sasuke
Highlighted

Texto excelente mano concordo com tudo que vc falou +1 GGS

Highlighted
Tropa
Tropa
Vlw por ter feito esse texto, eu fiquei super desapontado com a maneira como o revolta tratou esse assunto desde o momento q vi o video, parece q ele ta so descontando a frustraçao do desempenho dele e da situacao da keyd, acho mesmo que a comunidade mais experiente em lol nao passa muito do conhecimento deles para os players, tanto que os treinos sao fechados e dificilmente os times fazem videos bons explicando as taticas utilizadas em alguma partida, todo o conhecimento fica limitado a eles e nos so vemos um pouco disso nos jogos que sao feitos em patchs anteriores e sem muita certeza sobre o que esta acontecendo. Acredito que na soloq e bem facil de subir se vc for um player com boa mecanica e um pouco de visao de jogo, mas pelo sistema de gold no modo atual tambem e bem facil de um unico player ceder muita vantagem ao time inimigo mesmo que com pequenos erros, na minha visao o sistema de gold atual que esta realmente prejudicando a comunidade, pois vc tem q ser muito cuidadoso adiministrando a vantagem que conseguiu np early game aproveitando de champs como yasuo/vayne, pois no late um unico shutdown coloca esses personagens de volta no game e com recursos suficientes pra detonar a partida

Resumindo o final: e muito dificil adiministrar um jogo onde se tem vantagem e muito facil se recuperar num game onde vc errou o jogo todo e tomou stomp mas o inimigp nao cpnseguiu finalizar a acabou cometendo um erro e isso custou o game 😕
Highlighted
Tropa
Tropa
Bem argumentado, acho que os prós veem o jogo assim pois sentem falta dos tempos de glória ou pois já estão cansados e frustrados.
Highlighted
Olá meu caro, primeiramente gostaria de dizer que gostei muito do seu texto e que apoio mais textos como esse para gerar discussões saudáveis!

Gostaria de esclarecer algumas coisas que você comentou ai!

Concordo plenamente na parte que você disse que todo esporte tem seu desenvolvimento e isso gera mudanças. Porém, nossas mudanças são guiadas a cada patch pelo que a Riot determina ser a melhor maneira de fazer alterações no jogo com buffs ou nerfs (as vezes 10 de dano não muda nada para um jogador casual, mas para nós isso acaba matando um champion ou outro). Mas qual o meu ponto? Eu digo que o jogo está mais focado no macro e menos no micro por como as mudanças aconteceram especificamente nesse ano, onde pela primeira vez tivemos grandes mudanças(smite mid, mage bot, duo mid/jungle) durante a season, e não no fim do ano como normal. Isso faz com que os jogadores tenham que gastar muito mais horas com 10 champions diferentes (junglers jogando de braum, mids jogando de ad carries e ADs jogando de mages) para aprender a mecanica simples e poder usar no competitivo com intuito apenas e exclusivamente estrategico. No futebol você tem a mesma bola, a mesma trave, o mesmo campo. A variância do LoL é um pouquinho maior quando se trata de transições estratégicas e renovação.

Eu dei outras entrevistas em que eu disse que como um jogador casual eu gostava do jogo que eu estava jogando, para me divertir e sem me preocupar em guiar meu time, ver toda janela possível existente no mapa e sem ter que assistir todo replay de todo jogo que eu jogo. Vale destacar que tudo que eu disse foi de uma visão do cenário competitivo, que é 100% diferente dos jogos mais casuais. Digo isso porque a fila do challenger não rende jogos competitivos. O que podemos fazer para melhorar isso? Honestamente, não sei. Mas quero deixar claro que existe essa diferença brutal você se conformando ou não. Os jogos no challenger são extremamente desbalanceados por proplayers (geralmente o time que tem mais proplayer ganha) por isso eu digo, novamente, que no meio competitivo, no ambiente em que vivemos e jogamos diariamente, se uma pessoa não colaborar, você não vai vencer. Acho que isso não ficou tão claro no video pela forma como coloquei as coisas.

Obrigado novamente pelo texto, gostei muito de ver que tem gente que pensa sobre e expõe opiniões diferentes!

Att Revolta.

Edit1: Sei que o futebol também muda. O ponto é usar a comparação para que seja entendido que a constancia e a estabilidade do meta no lol é muito menor por conta dos patches.
Highlighted
Arauto
Arauto

Depois de ler esse texto lindo, eu lembrei do "Padrão de coisa certa BR", o que isso quer dizer ?

 

Basicamente BR tem o costume nojento de só gostar do que não presta, no caso do LoL o texto já se encarregou de nos explicar o que seria isso.

 

Mas mano o cara teve a audacia de dizer que só pq ta no competitivo não pode jogar com o que quer, mas **cogumelo do teemo** o que ele quer ? É óbvio que não dá, o jogo é em time, o objetivo é ir vencer, não ? Pra isso vc com certeza não irá usar só o que quer, mas sim o que for necessário.

 

O cara reclama que tem muita mudança no jogo, tipo vei não faz sentido, imagina que vc trabalha na area de computação, se vc quer realmente ser bom nisso vc tem que ta por dentro das coisas que surgem, tem sempre que se atualizar, se não como esperar realmente ser bom ?

 

Me parece que o cara curte um mono champ e coisa repetida, ele parece o tipo de pessoa que se prende a, digamos assim, "tradição" e quando muda ele desiste.

 

Sobre a questão das pessoas que não jogam, mas assistem o competitivo, é como foi dito no texto, LoL ainda é novo no cenaria esportivo, basta apenas comparar com o futebol, as pessoas entendem de futebol, não muito mas o suficiente para assistir e acharem bom.

O que falta é que haja alguma maneira de passar esse conhecimento para os leigos, pq ficar chamando a galera educadamente de burro....

 

Há, de uma forma resumida, eu acho que ele quer que passem o paninha na cabeça dele, pra ficar facinho, se ele quer moleza que sente no pudim.

 

obs: Não tenho nada contra ele, mas ele precisa acordar em.

 

 

Highlighted

Olá, Revolta! Obrigado por prestigiar meu post, fico muito feliz com a atenção e o carinho da sua presença.

 

Sobre esse ponto que você destacou, eu entendo perfeitamente o lado das mudanças abruptas e concordo contigo sobre o quão prejudicial é o "timing" delas no meio da season como o MicaO destacou perfeitamente bem várias vezes sobre isso; e eu ainda aproveito esse espaço pra parabenizar a Riot por admitir o erro e voltar atrás como fez em comunicado de vídeo recente sobre o retorno das mudanças grandes em patch de mid-season e pré-season. É preciso ter coragem pra admitir erros e ainda mais uma empresa do tamanho dela e muita gente está sempre pronta pra tacar pedra nas coisas e poucas se dão a humildade de bater palmas pra tais atitudes.


A minha colocação foi na forma geral como você colocou a situação de "micro x macro" e da maestria com campeões específicos porque eu acredito que pra todos os espectadores, e até para profissionais, termos diversidade estratégica é importante. Não é legal num jogo que tenha mais de 100 campeões serem usados os mesmos 25-30 em todos os jogos competitivos e essa parte de aprender campeões diferentes eu sinceramente não vejo tanto problema, vide Gigabytes Marines que deu um lapso de encanto no Mundo do LoL, mas parece que ninguém aprendeu nada com eles. Um time sem recursos conseguiu fazer antes desse meta e antes de todo mundo acreditar nessa visão de diversidade estratégica e divisão de recursos (gold/XP) de uma forma pioneira e que se outros times com mais capacidade (até a própria Coreia) poderiam ter observado, analisado e efetivado de maneiras ainda mais promissoras e infelizmente não aconteceu. Mas como dito, é indiscutivelmente melhor poder desenvolver esses valores com o tempo de uma mid-season/pré-season, nesse ponto não há discussão.


Bem, mudando o assunto e indo pra um ponto além do objetivo do post...

Eu comentei sobre o ponto que você falou de um jogador estragar o jogo de quatro e a falta de balanceamento dos elos mais altos, pois muitos jogadores bem ranqueados não tem tanto conhecimento. Eu abordei isso e sugeri como solução a abordagem dos profissionais em relação a cultura da soloQ ser repensada, é claro que não será do dia pra noite, mas é preciso ser colocada em xeque. Lembro das vezes que alguns jogadores abriram suas streams transmitindo algumas in-houses (sei que existe divergências sobre esse modo de treinamento entre os proplayers) um tempo atrás e com certeza muito espectadores gostaram de acompanhar e eu como um coach iniciante e estudante do jogo no cenário amador de League procurando o meu lugar ao Sol esperaria dos meus jogadores e dos exemplos para esses jogadores e dos futuros jogadores que eu posso liderar um dia no CBLOL uma postura de literalmente de EXEMPLO. Parece que a comunidade ainda não entendeu a estrutura e o profissionalismo por qual o esporte eletrônico passou e em suas devidas proporções vocês são Neymar, Coutinho e Jesus do LoL para várias crianças com esse sonho e jogadores mais novatos que estão entrando no cenário e eles PRECISAM aprender com vocês, é uma responsabilidade SIM, a diferença é que no LoL você constantemente joga uma "pelada de fim de semana" todo dia com esse novato que quer viver o sonho que você está vivendo, então sim, proplayer precisa aprender a lidar com a situação porque o abismo que existe no futebol entre o profissional e o menino da favela que sonha com Real Madrid é uma linha muito fina e tênue no LoL onde o menino de Manaus é um prodígio e pode tomar um lugar de destaque na principal competição nacional porque o cara simplesmente é MUITO BOM! Então precisamos entender sim essa evolução, lapidar e esculpir a ideia do que é ser "profissional" não só no trabalho, mas na mídia e dentro do jogo fora do esporte. Por isso toquei no ponto com uma pincelada rápida da nossa cultura de soloQ no fim do post, o fato da maioria dos jogadores quererem jogar solo, quererem colocar esse valor na mecânica, desbancar o projeto da Riot da fila flex na season passada porque é muito difícil jogar solo contra um time de proplayers fechado. A fila challenger deveria ser praticamente uma in-house todo jogo onde esses jogadores não-proplayers poderiam se desenvolver com esse contato e experiência, aqueles mono-champ que não querem evoluir seriam naturalmente afastados dessas posições de elos altos por não aderirem a cultura que seria estabelecida de valores de equipe e trabalho conjunto.
Enfim, o ponto é que sobre isso a culpa não é da Riot, ela até tentou, mas não só aqui no Brasil como no resto dos servidores teve um severo desprezo pela fila flex e seus princípios. Apesar disso, a soloQ coreana é boa porque existe uma cultura onde se valoriza pontos parecidos com a ideia que a flex queria trazer, mas não chega a mesma altura. Eu espero muito que o voice chat abra mais portas, acredito que seria uma revolução no jogo. Hoje, infelizmente, ele só funciona pra grupos na mesma queue, mas isso na flex da season passada seria algo incrível. Pena que ela seja tão desvalorizada e por isso seja uma fila fraca porque as pessoas costumam inverter isso, ela não é desvalorizada por ser fraca, ela é fraca por ser desvalorizada e seria ótimo ver mais streams de fila flex com muitos pro-players, comunicação e mais jogos parecidos com in-houses para todos os espectadores, amantes do jogo e fãs de vocês!

 

Edit1: Quero deixar claro que sobre esse tema é só uma forma de pensar pessoal e sugestão sobre o que acho importante nesse aspecto sobre esse assunto, mas é complicado ainda formar um conceito sobre isso por enquanto porque é uma questão complexa. Podem haver vários problemas dentro do que eu falei, com certeza, mas o trabalho deve ser colaborativo e aproveitar o máximo de ideias possíveis pra agregar valor de como proceder e evoluir com isso é a saída.


Att, Lion.

Ver Resposta em Destaque no post original

Highlighted
Dragão
Dragão
revolta é so mais um mimizento, reclama do jogo mas pergunta pra ele se a ajuda de custo gorda q a riot da pros times do competitivo esta ruim....
nao faz o menor sentido vc investir em algo q nao gosta, o revolta banca o cara inteligente mas ta la investindo em algo q ele detesta ?
se ele nao curtisse nao tava jogando, toda grande mudança o revolta reclama, ele foi o q mais chorou quando lançaram as plantinhas do mapa e hoje ele adora, quando mudaram as bush do jogo ele chorou pra krl tbm, e agora ta chorando de novo, nao da pra confiar, o cara so sabe reclamar, se fosse por ele o lol estaria estatico e ja teria morrido a anos por causa de falta de inovaçao e mudanças...

Highlighted

 

 

PS.: Não me conformo com essa onda de pro-player e caster dizendo que o lol é muito complexo e que o público não entende metade do que tá acontecendo. Se não entende é porque ninguém se dá o trabalho de explicar ou desenvolver isso, a audiência merece respeito invés de ser constantemente chamada de "burra" de forma "educada", o LoL não é tão complexo assim, falta força de vontade de abrir o conhecimento pro publico e trabalhar pra melhorar o servidor. Depois nego fica tomando rage de gringo dizendo que Pro-player BR não joga soloQ enquanto esses mesmos pro-player BR dizem que soloQ é uma merda, mas não usa sua influência pra mudar nada nem desenvolver nada. É isso.

 


Como um ponto de mudança em relação a esse assunto, o quado "Pequenos Detalhes, Grandes Jogadas" tá ajudando bastante, quando separam uma jogada que mereceu destaque e a mesma é explicada minuciosamente