cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 
purgatory judge
Aronguejo
Aronguejo

[CONCEITO DE CAMPEÃO] Inochi, o acrobata

Biografia:

 

Inochi é um lutador enérgico e ágil que faz parte da resistência que segue a dancarina das lâminas, Irelia. Trabalhando por trás das linhas inimigas, dificilmente ele é visto no campo de batalha, o que não quer dizer que ele não esteja lá. Sua vida pregressa como acrobata fez com que ele ganhasse agilidade e habilidade invejáveis, mesmo com as visíveis órteses em suas pernas. A única coisa maior que sua facilidade de estar em lugares difíceis é a sua lealdade pela sua líder. Os outros comentam que isso se deve a sua amizade antiga. Apenas Inochi sabe que é um pouco mais do que isso.


Os pais de Inochi eram artistas itinerantes que viajavam por toda Ionia, o que fez com que, quando ele nasceu, fosse incluído nesse meio. Conforme ele cresceu, ele decidiu se tornar um acrobata. Não pelos aplausos ou pela fama. Ele queria sempre se superar, ir até onde ninguém jamais iria.


Inochi sempre foi um garoto inquieto. Sempre que ele ficava ocioso, tamborilava os dedos na mesa, fazia ruídos aleatórios com a boca, ou olhava rapidamente de um lugar para outro.


Certo dia, o grupo itinerante chegou nos antigos Palcídios de Navori. Haveria uma cerimônia na região, e tanto os dancarinos de Navori quanto o grupo itinerante fariam apresentações para prestar suas homenagens.


Quando o grupo chegou no placídio, eles conheceram o templo, eles conheceram os dancarinos de Navori, e Inochi conheceu Irelia.


Eles ainda eram crianças, com mais ou menos a mesma idade. Ela era uma aprendiz do templo que praticava as danças antigas. Irelia olhou para Inochi e sorriu. Ele sorriu de volta.


Ao chegar na hora da cerimônia, os dancarinos de Navori se apresentaram primeiro, Irelia em meio a eles. Inochi não havia percebido no momento, mas ao ver Irelia dancando com tanta paixão e entusiasmo, era a primeira vez em anos que Inochi permanecia completamente parado.


Não havia palavra que pudesse descrever o que Inochi sentiu naquele momento. Pelo menos, não que ele soubesse.

 

A apresentação dos dancarinos de Navori havia acabado e era a vez dos itinerantes. Suas apresentações eram inteligentes e criativas, sem seguir um padrão definido. Cada qual fazia o que sabia de melhor, em uma sequência ligeiramente caótica, mas ainda assim bela à sua forma.


Inochi havia planejado algo novo em sua apresentação. Já a algum tempo ele trabalhou na adição de cordas e polias em suas acrobacias, e ele estava pronto para exibí-las.


Mas havia um novo elemento que Inochi estava levando em consideração: aquela garota com a mesma idade que ele, que observava o espetáculo tão adimirada quanto ele ao ver sua dança.


Ele queria impressioná-la.


Em um momento ele decidiu antes de saltar que iria fazer uma manobra mais complexa, mas ele precisaria de mais tempo no ar para isso. Reajustando a polia para aumentar o salto, ele pulou. A manobra foi um sucesso, mas devido à trajetória malfeita, ele errou a plataforma onde deveria aterrisar, indo diretamente ao chão, quatro metros abaixo. Ele caiu com as duas pernas no chão, sentindo uma dor tão grande que desmaiou em seguida.

 


Inochi acordou em um dos aposentos do templo deitado em uma cama, ele tentou se levantar, mas teve dificuldade. Olhando para suas pernas, viu que ambas estavam amarradas em talas.


Um médico que havia sido chamado lhe disse pouco depois que ele havia fraturado as duas pernas na queda. Com repouso e tratamento, ele poderia voltar a andar normalmente, mas os ossos não suportariam mais o esforço causado pelas acrobacias. A carreira de Inochi como acrobata havia acabado.


Mas o que havia sido pior era a reação de Irelia. Ela chegou a visitá-lo no dia seguinte ao acidente, acompanhada de sua tutora. Irelia não havia dito uma palavra durante toda a visita, mas sua expressão era clara. Ela estava verdadeiramente triste pelo ocorrido e pela sua situação.


Aquilo fez Inochi ter raiva de si mesmo. Ele queria chamar a atenção dela e, por causa de sua estupidez, ele havia causado tudo aquilo. Ao fim do dia, ele fez a si mesmo uma promessa. Da próxima vez que a visse, ele seria novamente um acrobata.


Durante a recuperação de suas pernas, Inochi trabalhou em um projeto. A ideia era criar algo semelhante às órteses utilizadas para a correção dos ossos, mas com junções nas articulações para permitir locomoção livre, e algo que distribuisse o impacto, minimizando o estresse nas pernas.


Finalmente, após seis meses de repouso, suas pernas estavam corrigidas e ele podia construir e testar seu dispositivo. Obviamente, ele não funcionou. Mas isso não o impediu de revisar, reconstruir e testar de novo, e de novo, e de novo.


Finalmente, após quase um ano, Inochi havia conseguido. Utilizando o mesmo sistema de cordas e polias que, ironicamente, havia começado aquilo tudo, ele criou um sistema que circundava suas pernas sem limitar seu movimento, e tomava parte do esforço para si, diminuindo o estresse e anulando a dor. Ele poderia finalmente ser um acrobata novamente.

 

E ele estava louco para contar isso à Irelia.

 


Os outros membros do templo de Navori haviam lhe dito que Irelia havia decidido voltar a sua terra natal para visitar sua família. Inochi, impaciente, decidiu ir até lá para vê-la. Explicando para seus pais a situação, ele foi até a terra natal de Irelia.


Ao chegar lá, Inochi viu que a cidade parecia ter sido ocupada por um exército. Ele já ouvira falar da nação do continente intitulada Noxus, que estava invadindo cidades ionianas. Olhando ao redor, ele viu vários túmulos sem nome, enfileirados na orla da cidade.


Inochi levou a mão ao peito, sentindo-se sem chão. Ele deu meia volta e saiu correndo, não querendo mais ver aquela cena.


Dias depois, Inochi ainda estava de luto, caminhando por uma cidade pequena, quando ouviu um transeunte berrando a plenos pulmões que vários grupos de resistência contra Noxus estavam se unindo sob a liderança de uma dancarina de Navori.


Inochi foi até o homem e lhe perguntou onde ela estava, partindo logo em seguida. Havia uma chance de Irelia estar viva, e ele se agarraria a essa chance ao máximo.


Mas ela se movia tão rápido quanto ele. Sempre que ele buscava informações sobre o seu paradeiro e chegava no lugar, ela já havia partido.

 

Inochi viajou de cidade em cidade por anos, ajudando as pessoas, fazendo apresentações para comprar suprimentos para as viagens, mantendo contato com seus pais e o grupo itinerante, e projetando novos dispositivos. A invenção da qual ele mais se orgulhava era um par de manoplas com arpéis acoplados, que permitiam que ele os atirasse em praticamente qualquer superfície e se içasse até ela. Isso tanto acelerava suas viagens quanto permitia que ele usasse qualquer lugar como palco.


Durante as viagens, ele ouvia as lendas da dancarina de Navori. Seus feitos se espalhavam com velocidade assustadora e ela eventualmente se tornou um símbolo de resistência e liberdade para Ionia, principalmente após o seu maior feito: durante uma batalha para libertar o Placídio de Navori, ela decepou, em um só golpe, o braço do general noxiano Swain.

 


Um dia, Inochi se aproximava de uma cidade que fora citada como base provisória para a resistência. Antes de entrar, ele decidiu que queria ver a cidade de cima, do topo de uma colina.


Ele subiu a colina esperando estar sozinho, mas já havia alguém lá.


Era uma mulher que observava a cidade no horizonte, de maneira que ele a via de costas. Ela tinha um cabelo longo e negro que brilhava com a luz do sol e uma armadura leve com partes de um tecido rosado que parecia seda. A grande peculiaridade era um conjunto de lâminas, um pouco diferentes umas das outras, como se fossem pedaços de um objeto maior, pairando em pleno ar ao redor de seu corpo.


Quando Inochi se perguntou o que aquela mulher estaria fazendo ali, ela simplesmente começou a dançar. Enquanto ela se movia em gestos precisos, as lâminas orbitavam graciosamente ao seu redor, complementando o misticismo e a beleza daquela dança. Quando ela terminou, Inochi percebeu uma coisa: ele havia ficado do início ao fim, um total de dez minutos, completamente parado.


Quando ele percebeu isso, atônito, suas pernas cederam. O barulho do metal na órtese contra o chão alertou a mulher de sua presença. Ela se virou, e Inochi reconheceu o rosto da garota que um dia sorrira para ele, mas agora a garota era uma mulher.


Não havia dúvidas. Aquela era Irelia.


"Quem é você?" Perguntou ela.


Nervoso, ele tentou se levantar, mas uma das polias da órtese travou. Irelia observou enquanto Inochi a ajustava.

 

"Acho que você não se lembra de mim." Disse Inochi olhando para a polia que consertava. "Afinal já fazem quase cinco..."


Inochi ouviu metal cascateando no chão. Ele olhou para Irelia. As lâminas que outrora a circundavam agora estavam caídas ao redor dela, que olhava estarrecida para ele.


"Essa voz..." Disse ela. "Inochi?"


Nesse dia, Inochi se tornou um membro da resistência, e passou a acompanhar Irelia aonde quer que ela fosse. A guerra contra Noxus havia acabado, mas Ionia estava dividida entre vários grupos divergentes que lutavam entre si. Para muitos, o derramamento de sangue ainda estava longe de acabar, mas Inochi ainda tinha esperança.


Se por ela, ele corrigiu as próprias pernas, por ela, ele corrigirá sua nação.

 

 

Habilidades:

 

(Passiva) Sempre no topo:

Inochi pode escalar uma torre aliada, ficando fora de alcance. Enquanto estiver em cima da torre, Inochi fica inatacável e inalvejável, mas não pode se mover nem usar habilidades, apenas ataques básicos. Todas as suas habilidades são substituídas por "De volta a ação".

 

De volta a ação:

Inochi desce da torre, voltando ao seu estado original.

Se a torre for destruída enquanto Inochi estiver nela, ele descerá automaticamente.

 

(Q) Arpel Portátil:

Inochi dispara seu arpel, aplicando efeitos variados caso atinja algo.
Se atingir um campeão aliado, puxa ele até o seu lado.
Se atingir um campeão inimigo, puxa ele um pouco em sua direção*.
Se atingir uma parede, Inochi vai na direção dela.
Se atingir uma corda bamba, Inochi vai na direção dela, recebendo seus efeitos.
O arpel ignora tropas.

 

(W) Golpes Frenéticos:

Inochi acerta dois golpes consecutivos no alvo, causando 80% do dano de seu ataque básico em cada golpe.
Se Inochi estiver acelerado, serão três golpes.

 

(E) Corda Bamba:

Inochi joga uma corda bamba no chão (perpendicular ao arremesso) que permanece por tempo indeterminado**. Se Inochi atravessar a corda bamba, ele fica acelerado, recebendo um aumento de velocidade de movimento. Se um inimigo atravessar a corda bamba, suas extremidades explodem, causando dano em área.

 

(Ultimate) Chute compresso:

Inochi aciona algumas polias nas pernas, carregando um ataque. Andar após a canalização da habilidade aumenta o carregamento do ataque***. O próximo ataque básico de Inochi causará dano massivo adicional baseado no carregamento. Se o ataque estiver carregado no máximo, Inochi irá saltar e causar dano em área, tendo como centro o inimigo que ele atacou. Todos os inimigos dentro da área receberão o dano e serão jogados para cima.

 

* Similar aos puxões de Kled e Swain.

** Máximo de 5 cordas bambas no mapa.
*** Esse carregamento combina com a velocidade de movimento de Corda Bamba. 

 

 

Comentários sobre o campeão:

 

A ideia de Inochi era criar um personagem ágil que pudesse ganhar vantagem em preparação de terreno, se especializando em repelir invasões e criar o caos em meio ao avanço inimigo. Suas táticas defensivas tornam ele um campeão viável tanto como suporte quanto na selva.

Quanto ao enredo, a ideia foi basicamente criar um personagem artístico e passional, que não mede esforços para alcançar seus objetivos, mas tem medo de enfrentar o maior deles: contar a verdade sobre o que sente por Irelia. Ao invés disso, ele prefere deixar que suas ações falem por ele, lutando batalhas cada vez mais audaciosas e sempre buscando se superar.

Em personalidade, as falas de Inochi oscilam entre falas em sua maioria divertidas, e algumas falas mais sérias (expecialmente para noxianos).

(Talvez futuramente eu crie interações. Se acontecer, eu atualizarei o post.)

Fiquem a vontade para deixar opiniões e sugestões. Como o meu conhecimento de arte e desenho beira a zero, eu não poderei fazer artes de conceito (Concept Arts), mas se algum desenhista tiver interesse, eu adoraria ver.

E por fim, minha maior realização seria ver esse personagem em jogo, mesmo que eu não receba nenhum crédito por isso.

2 RESPOSTAS
Hard Bone
Aronguejo
Aronguejo

Eai @purgatory judge, tudo bem?

 

Gostei muito do seu post, que história em, muito boa e completa.(Poderia ser dividida em "capitulo" para facilitar a leitura)

 

A organização está ok, mas acho que poderia ter mais atrativos. De uma olhada nas ferramentas do fórum para que o post chame mais atenção. 

 

As habilidade são muito criativas(a passiva é muito louca :O) e parecem ter uma sinergia muito boa.

 

Se tu quiser um desenho, não peça para mim, acho que tu pode fazer um sub-tópico com a aparência para facilitar o trabalho do pessoal ;).

 

Se tu quiser posso fazer uma análise mais detalhada.

 

Por enquanto é isso.
Boa sorte com teu campeão.
:Champion121: : Agradeço por sua contribuição

@Hard Bone, obrigado pela sugestão. Eu vou dar uma olhada melhor nas ferramentas do fórum e melhorar a aparência da postagem assim que possível.

Quanto a sua sugestão de analisar melhor a postagem, se você tiver tempo, eu gostaria muito. Uma vez que a mecânica que eu desenvolvi do campeão se resume a suas habilidades, eu não trabalhei nada em seus atributos iniciais e seu arsenal (build). Qualquer dica e sugestão é muito bem vinda.

Ah, e antes que eu me esqueça, obrigado pelos elogios.