cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 
Highlighted
Tropa
Tropa

Contos Esquecidos de Runeterra: Dunara Qzar dos Segredos

Ola bravos invocadores oque estão prestes a ler são contos escritos por esta lady que vos fala, em resumo são as historias de origem de personagens que crio baseado no universo de League of Legends, ja tenho algumas prontas e vou postando de acordo com o tempo, então boa leitura e criticas são sempre bem vindas. 

 

Uma pequena caravana de doze  mercadores ia em direção a Demacia para vender todos os tipos de objetos: armas, roupas, poções ate mesmo escravos e soldados. Os mercadores das terras de Shurima eram conhecidos pelos excelentes mercadorias e em tempos de guerra surgiram oportunidades de negocio. Vender para Noxus ou Demacia não importava, aquele que oferece o melhor preço tinha o melhor negocio. Para chegar a Demacia os mercadores precisavam passar pela grande barreira, mas com as guerras qualquer um que levantasse suspeitas seria executado ao ato não importando se fossem Demacianos ou  Noxianos; Porem a pequena demanda possuía um plano alternativo, um plano de passar por um caminho desconhecido pelo monte targon.

- O vento esta selvagem, e os cavalos estão inquietos temos que parar e armar acampamento. Disse um homem aos berros a outro a seu lado.

- Concordo, diga a caravana para parar e vamos descansar. Façam uma fogueira, mas apenas uma, não queremos chamar atenção. Disse o segundo homem gesticulando

Com um gesto um dos homens deu a ordem de parada, eles agruparam os cavalos para que não fugissem, os desabotoaram das carroças e se amontoaram em uma pequena caverna que havia por perto.

Dentro da caverna alguns dos homens se acomodavam preparando camas com peles improvisadas, algumas mulheres preparavam a fogueira e um ensopado para alimentar a todos.

- Que tempo dos infernos  !- balbuciou um homem vindo do lado externo da caverna-Com este clima não seremos capazes de avançar.

- Se continuar assim os escravos vão acabar morrendo.- Disse uma voz masculina deitado na cama improvisada.

- Perdemos escravos, mas continuamos com nossas bolas quentes . Antes eles do que nos. Disse uma terceira voz em tom de piada finalizando com uma risada.

- Comam e se aqueçam talvez possamos ler os mapas e achar uma rota mais segura. Falou o líder da caravana.

Amontoados na fogueira as mulheres serviam ao homens, porem uma senhora já bastante velha parecia com olhar perdido, assustada e em sussurro ela falava sozinha como um disco quebrado que toca sempre a mesma faixa.

- Não deveríamos ter vindo, deveríamos ter nos arriscado na passagem.

Um dos homens percebeu que a velha falava sozinha e em tom de chacota decidiu chacoalhar  a velha.

- Esta gaga vovó ?! - Disse o homem balançando a anciã de um lado a outro.

Como se saia de um transe a senhora olhou para a fogueira e depois para todos que estavam ali comendo ou apenas conversando e disse com a voz tremula quase em choro:

- Precisamos voltar não podemos continuar aqui.

A senhora parecia amedrontada, assustada. O líder da caravana era um homem experiente e sagaz e se pôs  logo a ouvir do que se tratava tamanha euforia.

- Oque a assusta tanto ? -Questionou o homem com um olhar piedoso, o mesmo olhar que alguns pais dão a seus filhos antes de lhes confortar.- Teme a montanha, os Solari, as bestas que rodeiam a montanha ?  - questionou mais uma vez.

- A única coisa que temo é Dunara nada mais...Antes de terminar um homem que estava comendo o ensopado falou e quase que engasgando em uma risada  disse:

- Dunara !?- riu e ainda completou-  Todo esse drama por uma lenda?? - Questionou mais uma vez agora rindo mais do que nunca.

O líder os mercadores já viaja muito, ouvira sobre de heroes lendários, monstros ferozes, e lugares que iam além da imaginação. Mas Dunara, era a primeira vez que ouvira este nome e não estava familiarizado com a lenda.  

- Quem é Dunara ?- questionou o líder mercador.

Um homem que acariciava uma mulher em seu colo logo de prontidão respondeu seu líder.

- Dunara, e uma lenda para as crianças não falarem mentiras apenas isso. Dito isso o homem voltou a atenção a sua companheira em seu colo.

Irritada por ser ignorada e ate mesmo se passar por maluca a senhora disse em um tom de irritação:

- Dunara não é uma lenda, e já que não sabe vou contar oque meu pais me contaram e os pais de meus pais contaram a eles.

O iniciar de uma história pareceu chamar atenção de todos os que estavam ali presentes, principalmente do líder, que antes não sabia nada mas agora ouviria oque causava tamanho medo em uma senhora, que apesar da idade, demostrava mais valentia que muitos homens que já conhecera.

 A voz da anciã pareceu ficar tenebrosa, quase fantasmagórica, com a intenção de demostrar seriedade em suas palavras ou talvez apenas deixar o ambiente propicio para uma lenda assustadora.

- Dunara é uma criatura antiga, muito antiga. Dizem que ela caiu como uma estrela e no coração da montanha agora ela vive; Em seu trono de pedra fria ela repousa, ouvindo os segredos que o vendo carrega, segredos do mundo, segredos dos amantes, assassinos, ate mesmo os segredos sombrios de heróis radiantes. 

E então uma voz grossa surgiu dentre os homens, cortando oque parecia ser um canção que era recitada pela senhora.

- Eu ouvi que ela era uma bruxa.- Logo o homem foi interrompido pelo capitão.

A anciã não parecia se abalar pela intromissão e continuou com a historia:

- Ouça com atenção ouça bem, ela se levantara de seu trono, e os sussurros são ouvidos na ventania, segredos que ela compartilha. Porem jovem aventureiro não os ouça, corra, não olhe para ela, arranque seus olhos se for capaz fure os tímpanos se for sagaz . Pois se sua voz o alcançar loucura o aguarda e torne a montanha seu lar pois jamais a deixara.

Um das mulheres perguntou a senhora:

- Como ela se parece ? - Em uma voz que demostrava medo

- Ninguém sabe. Disse a velha e depois completou. Dizem que sua aparência deixa as pessoas loucas.

Ao final da lenda um silencio mórbido tomou a pequena caverna e apenas a dança do vento e neve poderiam ser ouvidos do lado de fora. Ate que este mesmo silencio foi cortado por um pum soltado por um dos homens que já estava bêbado e soluçando.

- Seu cachorro fedorento.- Disse um homem ao lado do bêbado.- Oque andou comendo?

-  Parece que muito mais do que pode aguentar.-Riu outro homem já também bêbado.

Toda a tensão da história tenebrosa da anciã foi dissipada é como  em um passe de magica os homens continuaram bebendo, rindo e comendo. Oque antes era um clima pesado agora se tornava em uma festa.

O líder dos mercenários se aproximou da anciã e lhe disse para descansar que logo ao amanhecer eles sairiam das montanhas e que não havia nada há temer. Então com um sorriso que de quem já aceitou seu próprio destino a anciã olhou com carinho ao líder e disse:

- Não veremos o amanhecer.

Ela se retirou e foi deitar em uma das camas improvisadas feitas pelos homens mais cedo. Em uma ultima ordem o líder disse:

- Comam e bebam o quanto quiserem mas vamos sair logo pela manhã.

Com o ultimo comando dado o líder os deixou, e como resposta teve apenas um grunhido dos seus homens oque poderia ser considerado uma resposta positiva as suas ordens. E consigo o líder mercenário pensou:

- Bando de bêbados.- Pensou em tom de orgulho. Com este ultimo pensamento o líder dormiu.

Como quem acorda de um pesadelo o líder dos mercenários levantou, suado e sentindo frio a respiração ofegante demostrava que sua noite não foi das melhores. Dando uma rápida olhada para fora da caverna o líder viu que ainda era noite e que a tempestade continuava mais feroz que nunca.

Uma cama vazia o chamou atenção e logo ao olhar a seu redor ele percebeu algo, algo  que  fez com que silencio que havia tomado a caverna na hora da historia repousara mais uma vez. Os seus homens e mulheres, toda a sua caravana havia desaparecido.

O líder rapidamente se levantou olhou ao redor procurando os homens, gritando desesperadamente, suas vestimentas estavam todas ali não poderiam ter saído. Ele olhou do lado de fora da caverna os cavalos ainda amarrados, os escravos ainda estavam vivos e presos, eles não haviam ido embora, então o lider procurou sinais de luta, nada.

Era como se tivessem virado  fumaça; Algo pode ser ouvido, um sussurro, algo que entrava em seus ouvidos, penetrava como uma agulha quente, logo os sussurros passaram a ecoar pela a caverna, algo que eu não entendia muito bem mas que o estava deixando louco.

Mais alto, mais alto os ecos continuaram a almentar, ate que o homem levado a seu máximo se ajoelhou  na direção oposta a entrada da caverna. Os sussurros param apenas para que em seu lugar um frio na espinha tomasse o líder da caravana; Vagarosamente ele olhou em direção a entrada da caverna , e viu apenas o vento levando os flocos de neve, porem os flocos   colidiam com alguma coisa, uma forma.

Oque foi visto pelo líder não poderia ser descrito, o homem que antes estava assustado com o desaparecimento da caravana, calmamente se levantou retirou toda a roupa e não usando nada foi em direção a saída da caverna completamente nu, e assim ele continuou andando em linha reta ate que desapareceu na tempestade. A caravana de Shurima nunca mais foi vista.

 

                                                                                                - Fim-

 

1 RESPOSTA
Highlighted
Tropa
Tropa

Que irônico. acabei de jogar com você, e você pegou uma Irelia para um Sup com uma MF. Sabendo da composição do time, e tudo mais, e mesmo assim, pegou. Comprando item repetido, se matando, trollando, resumidamente. E eu vim pesquisar mais coisas sobre você, o seu texto é muito legal, mas precisa trolar assim em uma partida rankeada? Quando ameaçamos reportar, algo do tipo, disse que era para continuar, que podia chorar mais, que jogava com o que quiser. Poxa amigo, precisava disso? Era só jogar na boa. Peço desculpas se em algum momento com sangue quente falei besteira, creio que não. Mas precisava fazer isso? Por que não pediu para trocar? Ai você prejudica 4 pessoas, que estão jogando rankeada, fazendo md, whatever, e fica com cara de troll... é triste isso. Com rage, quando levo, nem ligo, mas os trolls, isso eu não entendo. Mesmo.