cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 
Mahryn
Tropa
Tropa

Sugestão de Campeões - O Médico Monstro

 Olá turma! Decidi entrar nessa onda de sugerir campeões para o "Liga das Lendas", já que gosto muito de criar personagens, suas histórias, personalidades e narrativas. Eu já tinha feito este post antes, mas, quando o fórum foi refeito, descobri que ele simplesmente foi deletado liand:Iten3151:

Primeiramente, pegue um colírio porque isso vai sim ser grande. Cuidado com os olhos.

Segundamente, há uma ordem de tópicos, para aqueles que não querem perder tempo. Em primeiro lugar, há um resumo sobre cada personagem, onde falo sobre a história de cada um, o estilo de jogo esperado e faço algumas considerações. Logo em seguida vem a história e, depois as habilidades.

E por último, estarei postando, no final, um link para um tópico de outra sugestão de personagem, já que eu não sabia desse limite de 20.000 caracteres que tem no fórum(aparentemente a Riot tem bom senso)

 

Doutor Dráuzio Owllegan, O Médico Monstro

(Aparência: Caucasiano de pele pálida, olhos claros e com olheiras escuras, bem destacadas, cabelos escuros e de tamanho mediano. Corpo alto e muito magro. Veste-se com um jaleco comprido, semelhante a uma casaca ou sobretudo, possui uma braçadeira com o símbolo de uma coruja no braço direito. Carrega uma arma de fogo de grande calibre e formato quadrado, semelhante à Desert Eagle, na mão direita, e um bisturi na mão esquerda.)

Local: Piltover

Função: Atirador/Assassino.

 

Resumo:

 

O Doutor Dráuzio Owllegan é um médico-pesquisador-programador de IA, oriundo de uma família abastada de Piltover, o que lhe permitiu maiores investimentos aos seus talentos. Criou seu próprio hospital e instituto de pesquisa a fim de tornar o mundo um lugar melhor, mas acaba se deparando com um grande obstáculo financeiro que o impedia de continuar a trilhar tal caminho. De modo a contorna-lo, passa a desenvolver tecnologia militar de ponta, com o objetivo de vendê-la e de se destacar dentre os outros institutos de pesquisa e, dessa forma, atrair mais clientes para financiar seu desejo de promover a preservação da vida. Ao longo do tempo, porém, acaba se deixando levar pelo armamento que seu instituto desenvolvia e, com isso, acaba se corrompendo.

Sendo um atirador/assassino, é um "canhão de vidro", causando muito dano, mas sendo afetado mesmo ao sofrer pouco dano. Complementar a isso, temos também o sistema risco-recompensa, em que, embora seja muito arriscado que ele possa participar de um combate corpo-a-corpo, ele também possuirá vários benefícios por isso, como o dano adicional e as possibilidades de fuga com o E - Granada de Luz e com o W - Salto Quântico, isso sem levar em conta sua ultimate.

 

Bem, essa é a intenção. Fiquem agora com a história do personagem e com as habilidades.

 

História:

 

Piltover sempre se vangloriou por ser a cidade do progresso e por monopolizar grandes inovações científicas. Sua sociedade concentra os maiores cientistas e pesquisadores de toda Runeterra, que exercem seu papel não só em garantir que a vanglória da cidade seja justificada, mas também em providenciar um ciclo que se retroalimente, através da descoberta e cultivo de novas grandes mentes da Ciência.

Foi neste ambiente que cresceu o jovem Dráuzio Owllegan. Nascido numa família de alto escalão de Piltover, juntamente com seu irmão e sua irmã, sofreu desde cedo as pressões familiares para que fosse um jovem dedicado à sabedoria e ao conhecimento e que pudesse aproveitar-se de tais virtudes para enriquecer e atrair status à casa dos Owllegan.

Começou a demonstrar interesse pela tecnologia a partir do momento em que descobriu a possibilidade de interagir com os robôs-serviçais da casa, iludido pela inocência de que aqueles seres, capazes de compreender e, em alguns casos, até mesmo responder a ordens e comandos orais, pudessem também ser capazes de entender desabafos e desenvolver conversas com as pessoas. Passou a atribuir a ausência de reações aos seus diálogos a uma possível timidez por parte dos robôs, que, sendo tratados como serviçais sem sentimentos, não estariam acostumados a ter um amigo como o pequeno Dráuzio.

Pouco tempo depois dessa fantasia ser perdida, o jovem Dráuzio foi enviado para a melhor academia científica de Piltover, onde passaria a ter contato com Matemática, Economia, Química, Física, Tecnologia, Hextecnologia, Administração, Linguagens, Filosofia e Medicina. Foi lá que o caçula dos Owllegan teria uma nova chama acesa dentro de si. Seria nesse meio onde aprenderia que, apesar dos robôs-serviçais de sua casa não serem capazes de dialogar com ele como um ser humano, era possível, sim, desenvolver uma Inteligência Artificial capaz de se comportar de forma próxima a de um ser humano. Não só isso, mas também aprendeu que essa Inteligência seria capaz de ajuda-lo a fazer uma das maiores boas ações possíveis ao outro: preservar a vida.

Assim, não tardou para que o jovem Dráuzio passasse a ser conhecido não só como um dos melhores estudantes da academia, como também uma das mentes mais promissoras de Piltover, visão esta que logo seria abrangida para toda a Runeterra. Isso acabou despertando orgulho e alguns mimos em seus pais e familiares, que viam o potencial do garoto como alguém que comandaria a família Owllegan. Claro que isso acabou por semear discórdia e inveja entre seu irmão e sua irmã.

Porém, nada disso importava para o pequeno cientista. Tendo tido como melhores amigos apenas os robôs-serviçais da casa, Dráuzio nunca foi alguém muito sociável, principalmente após ter atraído a atenção de seus mestres e o ciúme de seus colegas, que tentavam denegri-lo de qualquer forma possível, fosse alegando desonestidade durante os exames, fosse afirmando que seus pais compravam o seu prestígio. Isso fez com que o garoto se acostumasse a passar todo o seu tempo livre enclausurado em seus aposentos, fosse em sua casa, fosse nos dormitórios da academia. O tédio que esse isolamento lhe proporcionava fez com que se dedicasse a pesquisas e projetos pessoais, rapidamente se aprimorando nos conceitos de Medicina, Tecnologia e Hextecnologia, que tanto gostava, desenvolvendo ideias, teorias e possibilidades de criação de acordo com o que sua imaginação pudesse lhes proporcionar.

Quando concluiu sua formação na academia, Dráuzio já estava empregado num grande hospital local, onde fez questão de organizar seu tempo para que pudesse ajudar seus pacientes não só diretamente, como médico, mas também indiretamente, como pesquisador e desenvolvedor de tecnologias, aproveitando-se dos recursos que lhe eram disponíveis para colocar em prática algumas de suas mais ousadas ideias. Em pouco tempo, o já denominado Doutor Owllegan teria acumulado recursos suficientes para abrir o seu próprio hospital e centro de pesquisa: O Instituto Athena, onde poderia desfrutar de seus dois maiores deleites intelectuais sem limitação alguma: a Medicina e a Pesquisa com tecnologia. Sem mais limitar-se a interesses alheios, sem mais ter de tolerar a pressão de intermediários incompetentes, fossem superiores ou inferiores, sem mais tolerar a inveja de colegas desprezíveis. A partir de então, seria apenas ele, o Doutor Dráuzio Owllegan, e seus clientes, com um corpo de funcionários submetidos às suas vontades. Prometeu a si mesmo que aproveitaria-se de seu poder para fazer o melhor pela humanidade. Sim, seu objetivo era tornar o mundo um lugar melhor, através dos cuidados médicos, da simpatia e afeto profissional de um médico e da tecnologia como um todo.

Entretanto, novamente o caçula dos Owllegan viu-se desiludido. Pesquisas na área médica, no geral, são extremamente caras e demandam muito tempo até que possam ter algum fruto. Esse único fator, em contraste à toda a receita que o Instituto Athena obtia com outras pesquisas e com atendimento médico, foi suficiente para que, aos poucos, o jovem empreendedor visse sua criação se aproximar da ameaça de falência. Desesperado, começou a buscar por mais parcerias com empresas de Piltover, parcerias que pudessem ser cada vez mais lucrativas, contratos de pesquisa que demandassem uma participação na receita de um projeto cada vez maiores, o que obviamente fez com que perdesse grandes oportunidades.

Estava prestes a desistir das pesquisas na área médica quando recebeu em seu escritório uma visita inesperada, mais inesperada ainda por ser de um noxiano. Dráuzio nunca vira um noxiano antes, mas aquele parecia emanar todas as características que ouvira falar, só que piores: era alto, com um porte imponente, uma expressão que parecia demonstrar constante raiva e rancor, falava de um modo seco e bruto. "Soube que sua instituição aceita todo tipo de contrato." - Ele disse. "Sim. É verdade." - O cientista respondeu, lembrando-se, penosamente, da necessidade que as dívidas lhe causaram. O noxiano mostrou-se, então, interessado num contrato de pesquisa. Estava disposto a pagar a quantia que fosse necessária para arcar com os custos da pesquisa, desenvolvimento e com a receita do Instituto. Seu interesse era bem simples: uma arma. Uma arma que lhes desse vantagem na guerra, contra qualquer povo. Uma arma que pudesse diminuir a perda de soldados, para que, assim, eles pudessem ser reaproveitados.

O Doutor Dráuzio hesitou. Aquele contrato ia contra todos os seus princípios que cultivara ao longo da vida. Porém, ele também ajudaria com que pudesse pôr esses mesmos princípios em prática. Estaria desenvolvendo uma forma de tirar a vida das pessoas para que pudesse desenvolver uma forma de preservar a vida das pessoas.

O projeto teve início no dia seguinte, e seria apenas o primeiro de uma série que viriam a se tornar constantes. Ao perceber quanta receita poderia arrecadar em tão pouco tempo de pesquisa, o Doutor passou a investir no desenvolvimento de armas de fogo, químicas, biológicas, de todos os tipos possíveis. Não conseguia compreender no quão vantajoso poderia ser investir em armamento. Não só os lucros eram exorbitantes, permitindo que pudesse manter seu estilo de vida, como também proporcionavam cenas, sons e descobertas belas. O som da pequena explosão controlada no interior da câmara de fogo, o cheiro da pólvora queimada, a visão do inovador Veículo Ligeiro Blindado, desenvolvido e fabricado apenas pelo Instituto Athena, com seu aço negro fosco, e, por fim, a descoberta da possibilidade de concentrar diversos raios de luz num único ponto, permitindo, assim, o desenvolvimento de uma arma capaz de queimar e liquefazer substâncias utilizando, para isso, apenas a luz proveniente do Sol.

Assim, mesmo os robôs mais simples do serviço de manutenção foram capazes de notar que, o Doutor Dráuzio Owllegan, renomado médico, fora acometido por uma misteriosa e sinistra doença, uma doença que poderia colocar em risco a vida de toda Runeterra.

 

"Acredite...mesmo as armas podem ter seu papel em preservar a vida."

 

Habilidades:

 

Passiva - Medicina de chumbo: Num raio de até 150 unidades, Dr. Dráuzio ataca com seu bisturi, tendo acertos críticos garantidos e causando (Dano de Ataque atual*(1 + % de acerto crítico atual)). Quando alveja um inimigo num raio de até 550 unidades, Dr. Dráuzio dispara com seu revólver, perdendo parte de sua velocidade de ataque e recebendo maior % de acerto crítico.

 

Q - Incisão/Arremesso: Quando dentro do alcance do bisturi, realiza um ataque que causa dano verdadeiro de acordo com a % de vida máxima do alvo e causa dano físico adicional na forma de sangramento. Quando fora do alcance, arremessa o bisturi, causando apenas sangramento com metade do valor anterior em dano físico e aplicando lentidão.

 

W - Salto Quântico: Quando no alcance do bisturi, realiza um pisão no inimigo, atirando-se a uma distância equivalente ao alcance máximo do revólver(550) enquanto empurra levemente o inimigo para trás(semelhante ao E - Salto da Quinn). Quando fora desse alcance, salta em direção ao inimigo, quicando no mesmo e parando no alcance máximo do bisturi(150), enquanto empurra levemente o inimigo para trás(quase idêntico ao E - Salto da Quinn).

 

E - Granada de Luz: Na primeira ativação, prepara uma granada de luz para o arremesso. Na segunda ativação, arremessa a granada de luz no local indicado. Dois segundos após a primeira ativação, a granada explode, causando atordoamento a todas as unidades dentro do raio de detonação. Se a segunda ativação não for feita dentro desses dois segundos, a granada explode, causando dano com base no Dano de Ataque do Dr. Dráuzio e atordoamento ao Dr.Dráuzio e a todos que estiverem dentro do raio de detonação.

 

R - Ao Progresso!: Dr. Dráuzio invoca algumas das maiores inovações científicas do Instituto Athena, dependendo do nível da habilidade:

 

Nível 1 - Guardião e T-Killer: Dois robôs-soldados surgem para ajudar o Dr. Dráuzio:

*O Guardião: Armado com um escudo, é capaz de diminuir o dano causado por ataques inimigos(especialmente projéteis) posicionando o escudo à sua frente(semelhante ao E do Braum). Pode ser designado para proteger campeões em específico(semelhante ao W do Braum). Parte do dano mitigado é aplicado à vida do robô, que pode morrer ou quando sua barra de vida chega a zero, ou quando seu protegido morre(por padrão, o protegido é o próprio Dr.Dráuzio). É incapaz de atacar.

*T-Killer: Soldado de linha de frente armado com uma metralhadora pesada. Possui altíssima velocidade de ataque(ao estilo do remake do Kog'Maw, antes da Riot voltar atrás) e causa dano físico igual ao Dano de Ataque do Dr.Dráuzio. Ignora 50% da armadura. Além de uma barra de vida própria, possui também uma barra de aquecimento, que aumenta a cada disparo realizado. Após esse limite ser atingido, é incapaz de realizar qualquer ataque até que a barra de aquecimento volte ao valor 0(semelhante à mecânica do Rumble).

 

Nível 2 - Veículo Ligeiro Blindado: Dr. Dráuzio invoca a nova cavalaria de guerra, o Veículo Ligeiro Blindado(VLB), que possui velocidade de movimento mediana(talvez 350, 360) e um canhão de alto calibre, que pode ser disparado pressionando-se a tecla R, com um tempo de recarga de 3 segundos. O canhão causa dano físico em área(dano base + Dano de Ataque do Dr. Dráuzio * (1 + % de Acerto crítico)) ignorando 50% da armadura das unidades atingidas. Além disso, o Dr. Dráuzio pode subir na metralhadora montada do VLB, que permite um grande aumento na velocidade de ataque do Dr. Dráuzio e impede que ele seja morto enquanto o veículo não for destruído. O VLB possui uma barra de vida própria e uma barra de combustível, sendo consumido ao longo do tempo. Ataques contra a traseira do VLB ignoram sua armadura e sempre causam dano crítico. O VLB pode passar por cima de tropas, causando dano a elas.

(Um tanque de guerra que, por conta da jungle, teria de ser bem compacto)

 

Nível 3 - Canhão de Luz: Dr. Dráuzio convoca a arma protótipo mais recente do Instituto Athena, e que mudará a história das guerras, o Canhão de Luz. Canaliza rapidamente e marca uma área com um grande raio(algo próximo da área da Redenção :Iten3107:) para ser atingida pelo Canhão de Luz. Um feixe de luz surgirá no centro da área indicada e, após 2,5 segundos, toda a região demarcada será atingida por um grande feixe de luz, causando uma quantia de dano base + Dano de Ataque do Dr. Dráuzio + % de vida máxima a cada 0,25 segundos durante 2,5 segundos à QUALQUER unidade dentro dessa região, incluindo o Dr. Dráuzio. Após isso, aquela área ficará arrasada por 5 segundos, causando lentidão a qualquer unidade que passe por ela e incendiando inimigos, causando dano físico + dano verdadeiro com base no Dano de Ataque do Dr. Dráuzio ao longo de 2 segundos. Permanecer na área reinicia a lentidão e, se for o caso, o dano sofrido pelo incendiar.

(Um satélite cheio de lentes em seu interior, visando concentrar todos os raios de luz num único ponto, tendo alcance global, num estilo semelhante ao R do Gangplank, porém, com um tempo de conjuração, um raio que, ao meu ver, seria maior e, além disso, com um dano em toda a área devastador, que permanece por algum tempo após a ação da habilidade. Creio que não é tão op quanto parece, por conta do tempo de conjuração, que faz com que seja preciso boa coordenação com o time para fazer um bom estrago, AKA controle de grupo de uma Nami)

 

 

Comentem para dizer o que acharam.

16 RESPOSTAS
Oni Safadinha
Arauto
Arauto

caralho cara, simplesmente genial.
Se eu fosse tu tentava postar no servidor NA, já que lá sempre tem bem mais destaque e chega mais fácil até a riot.
ChanaDelRey
Dragão
Dragão

Interessante , up
Dragonpet
Aronguejo
Aronguejo

   Me interressei pelo kit de habilidades e os robos que ele usa, daria um bom campeão em quesito de equilibrar desempenho individual e desepenho em equipe.

  Mas acho que a ultimate dele dependendo do nivel (caso não fosse possivel alternar qual usar) seria um pouco inconsistente o desempenho dele. Mas é uma ideia à ser visada.

OberonZRaven
Tropa
Tropa

o conceito, medico monstro é do mundo

 

use outro conceito base. vc ate fez ele em piltover e mundo é de zaum

Valeu! Vou fazer isso quando tiver paciência(Sim, paciência, porque o tempo que eu levei pra escrever isso...meu amigo...)

Valeu!

Hum... Pode me explicar melhor, por favor? Por que a ultimate seria inconsistente?

Hum... É que o Mundo, até onde eu sei, é um cientista sádico. Ele se dedicaria mais a fazer pesquisas científicas com um "quê" de sadomasoquismo, de ver outras criaturas sofrer e etc. Achei que esse conceito pudesse ser diferente porque ele é mais parecido com a ideia de "O Médico e o Monstro", já que, ao mesmo tempo em que o Dr. Dráuzio seria um médico dedicado, bondoso, gentil, que faz jus à sua profissão, também teria um lado sombrio, monstruoso, de um homem louco por armas e que busca melhorar a vida das pessoas matando parte delas.
ThanatosKadlu
Dragão
Dragão

eu juro que ia ler mais tive uma leve dor de cabeçã só de ver o texto mais de acordo com os coment parece bom ....

Porque dependendo do nível que a ultimate está, pode ser que sua necessidade de usar tal nível seja situacional (por exemplo o nivel 1 fica mais forte contra tal campeão, o nivel 2 fica mais fraco contra esse mesmo campeão) de acordo com o que você disse, eu acabei pensando dessa forma caso o campeão estivesse numa luta. E depois tentasse lutar novamente.

kkkkk

......

.................

É...não posso culpa-lo. É que eu meio que me empolgo... Tentei fazer um resumo justamente pra isso mesmo.


@Dragonpet@  escreveu:
Porque dependendo do nível que a ultimate está, pode ser que sua necessidade de usar tal nível seja situacional (por exemplo o nivel 1 fica mais forte contra tal campeão, o nivel 2 fica mais fraco contra esse mesmo campeão) de acordo com o que você disse, eu acabei pensando dessa forma caso o campeão estivesse numa luta. E depois tentasse lutar novamente.

por exemplo seria o caso de nao upar ela, pra poder cauter"is"ar quem esta mas forte.

É...realmente...esse seria um problema. Não sei c seria viável um sistema de "seleção de ult", assim como ocorre com skins, por exemplo, com a Dj Sona, maaas...enfim...