cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 
Tchuu
Arauto
Arauto

Narração: Português vs Inglês

Então, eu costumo assistir sempre à NA LCS(torço pra C9), e quando o mundial chega, chega a hora de assistir com a "galera", juntar todo mundo numa casa, comprar umas bebidas, uns salgados, botar o jogo pra rodar... O problema é que meus amigos são fãs de times do CBLol, e, como tal, gostam da narração em português...

 

Não é exatamente um dilema monstruoso, no fim das contas todo mundo opta pelo 'tanto faz', mas gostaria da opinião de vocês, qual a diferença entre a narração BR e a narração internacional? Eu sinto que na narração BR, independente do narrador, falta um pouco de profissionalismo, uma tentativa de "galvãobuenizar" o negócio, enquanto na narração internacional há mais espaço pra comentários sobre as match ups por parte dos comentaristas, e as reações não passam a sensação de serem forçadamente exageradas... Gostaria de ouvir a opinião da galera a respeito do assunto, comparando as duas e talvez aprendendo um pouco da história da narração brasileira e o porque do foco no efeito "TETRAKILLL!!!!!!", como gosto de chamar.

15 RESPOSTAS
GwenMono
Aronguejo
Aronguejo

No Brasil tem muito disso mesmo, "Futebolzar" tudo. Eu não odeio a narração BR, mas acho que eles tem que lembrar que não estão narrando jogo de futebol. 

Eu não gosto do Toboco por está razão, ele narra tentando imitar o Galvão.

Já os analistas (Melão/GSTV) eu acho que vão bem.

Quando eu quero dar boas risadas sempre vejo narração chinesa ou japonesa dos campeonatos, é muito engraçado.

nluizfelipe
Tropa
Tropa

baba ovo de gringo!!!
TedMartins
Aronguejo
Aronguejo

Pois é cara, às vezes é difícil aguentar algumas coisas. Minha esposa não joga LOL, mas ela vê eu jogando e às vezes assistindo, tem horas que ela fala: "Como você consegue aguentar esses caras gritando a mesma coisa o tempo todo?". Entendam, não é ruim a narração, mas é enjoativa e às vezes forçada, exatamente pelo motivo de "galvãobuenizar" (gostei desse termo, passarei a usar) as coisas. Além de descaracterizar a identidade própria do jogo, vale lembrar que tem gente que não assiste futebol nacional por N motivos (eu por exemplo, não aguento mais ver os pernas de pau supervalorizados do futebol nacional, conheço várias outras pessoas assim).

 

Um belo exemplo de narração bosta é a Narração do FIFA, feita pelo Tiago Leifert e Caio Ribeiro, além de só falarem asneiras é extremamente enjoativa, diferente da narração em inglês do jogo (Martin Tyler e Adam Smith), que passa a sensação de estar assistindo de fato uma partida da premier league. Não é porque somos brasileiros que devemos aceitar qualquer coisa só porque é do Brasil, tudo que não está bom deve sim ser questionado, só assim as coisas vão melhorar.

PS: Se algum narrador do LOL ver isso, entenda: Não estou desvalorizando o trabalho de vocês, só acredito que vocês tem talento suficiente para agradar o público sem precisar imitar uma narração de futebol, pensem nisso 🙂

Eu acho a narração da lcs sem graça, na minha visão a narração tem como principal objetivo deixar o jogo mais "divertido" de se assistir. A maneira como o narrador descreve as jogadas influencia diretamente na empolgação do espectador.

Os narradores BR são muito carismáticos e tem um foco maior no espetáculo, o que é muito bom. Não acho que BR tem que copiar tudo o que os gringos fazem.

O único ponto que acho válido ser modificado nas transmissões brasileiras é o número de casters, acredito que 3 é bem melhor que 2, pois dá pra colocar 1 mais focados nas análises táticas e 2 mais descompromissados.

Cara, eu acho que boa parte da diferença de servidores, se dá ao fato dos nossos analistas serem ruins quando comparados à analistas como o Deficio.

Eu não estou falando de narrador e sim da pessoa responsável por fazer a análise da partida, rotação e match ups.

Eu digo isso porque eu lembro que, no período que eu estava na europa, eu assisti à um jogo da LCS(não lembro qual), no qual o Defício comentou alguns detalhes do match up de leblanc e sobre inversão de lane. Na semana seguinte, todo mundo da soloQ estava fazendo exatamente o que o defício falou.

Inclusive, durante uma entrevista do tockers/revolta(sem dodge), o mesmo disse exatamente a mesma coisa que eu notei: na soloQ européia, a partir do diamante, a galera começa a fazer diversas rotações comuns no competitivo enquanto que aqui no servidor br, se você tentar fazer alguma jogada mais agressiva você vai cair de elo porque a galera não tem ideia do que você quer fazer.(tenta dar um dive lvl 3 com uma wave stackada na toplane quando você for jg. Te garanto que 60% das vezes vai dar errado e o cara vai ficar reclamando falando "só quero farmar. n vem mais na minha lane!!!")

E esse tipo de conhecimento é passado pelo analista. No nosso caso, ele simplesmente não é passado.
A galera que está acima do platina já começa a ser muito ligada na cena de e-esports. Então qualquer conhecimento estratégico ou especificidade de match up que um analista passa durante um cast melhora(e muito) a qualidade do jogo nos elos mais altos.

O Defício na europa faz um trabalho muito bom em conhecer os match ups nos mínimos detalhes além de ser muito bom com a parte macro também. Aqui a gente ainda não tem um analista no nível dele.

Cara entenda que cada região possui uma cultura diferente

Pense nisso em vez  de ficar copiando tudu que vem de fora 

aff 

 

 

Troren
Tropa
Tropa

Tirando a babação de ovo da tsm e G2, eu gosto muito delea, agora nada se compara a narração em inglês da lpl e lck, sem dúvida a melhor
Shioonim
Aronguejo
Aronguejo

É muito simples a maior diferença entra a narração brasileira e narração gringa é a diferença de conhecimento dos profissionais e a forma de narração, LoL é um jogo estrategico de partidas demoradas e de muitas variaveis e com possibilidades infinitas então a diferença de conteúdo e conhecimento que narradores de league of legends deve ter é muitas vezes maior que de jogos competitivos mais tradicionais como FPS, luta e Futebol. O que eu quero dizer é que narradores brasileiros se estruturaram como narradores desses jogos tradicionais adicionando o jeitinho brasileiro de narração futebolistica da nossa cultura fazendo com que a narração do League of Legends brasileiro fosse pobre e inadequada para o jogo em si, ja que os gringos tem narradores ex-pro-players e soloq Desafiante e pelo simples fato de eles entenderem como se deve narrar um moba propriamente. A maior diferença é a quantidade de tempo que um comentarista de fora passa falando de teoria de jogo quando um narrador brasileiro fala de numeros e aspectos obvios que todo mundo ve e num desenvolve nada na narração com a informação da partida.

@TraquinasDeKiwi

 

Você falou exatamente o que eu penso da análise brasileira, desde que eu passei a entender melhor o LoL. Por aqui as análises durante as partidas são muito rasas, e lhes faltam uma profundidade analítica. Por exemplo, compare dois programas da Riot no youtube: o The Breakdown (norte americano) com o Pequenos Detalhes, Grandes Jogadas (brasileiro). O primeiro sempre explica as circunstâncias que permitiram a jogada em questão, enquanto que o segundo parece mais uma narração mais aprofundada da jogada.

 

Lembro que foi notável a evolução das análises de picks e bans quando o Melão as fez no Rift Rivals. Poderiam pensar em colocá-lo nas narrações do CBLoL

Prefiro a narração internacional.

 

O narrador precisa adequar seu linguajar à plateia que ele atende (o que alguns chamaram de "cultura" aqui nesse tópico), e o público que assiste ao LOL no Brasil é diferente dos demais. Entendo o por quê dos narradores brasileiros se comportarem como se comportam.


@Unicórnio Ferozescreveu:

Prefiro a narração internacional.

 

O narrador precisa adequar seu linguajar à plateia que ele atende (o que alguns chamaram de "cultura" aqui nesse tópico), e o público que assiste ao LOL no Brasil é diferente dos demais. Entendo o porque dos narradores brasileiros se comportarem como se comportam.


Pego pesado nossa !. Acho que o publico que assiste não é tão superficial assim talvez a galera que assiste interagindo na stream seja meio boba mas tem muita gente que assiste o Cblol e leva o jogo a sério e até deve entender muito bem do jogo por essas pessoas acho que a narração precisa de mudança.

Não quis dizer em nível de entendimento do jogo, mas em questão de comportamento. O público do Brasil é muito mais agitado que o internacional. As palavras e as escolhas de frases dos narradores do CBLOL enfatizam emoção e narração play-by-play - a análise mais profunda fica para segundo plano, pois não há muito espaço para "esfriar" o ritmo da narração.

 

Se os narradores do Brasil passarem a ter uma abordagem semelhante à da LCK, acho que não se encaixaria com a forma como o público brasileiro gosta de assistir a jogos (tanto de LOL quanto de futebol ou qualquer outro esporte).

Estou vendo uma polarização forte nesse tópico e poucos meio-termos. Já fiz um post mais extensivo sobre isso porque sempre aparecem tópicos discutindo narração, mas quero comentar algumas coisas que surgiram nesse aqui.

1- A narração do FIFA em inglês é mais realista desde sempre e com qualquer narrador, simplesmente porque a narração futebolística inglesa é mais contida, de poucas palavras e grandes pausas, sem muita descrição. O jogo é programado a partir dessa narração. Já no Brasil trouxemos do radialismo uma forte cultura de descrever tudo que está se passando a todo momento, e é praticamente impossível passar esse sentimento pra um jogo de videogame com frases limitadas e pré-prontas.

2- Discordo de quem disse que as LCS não trazem emoção. Eles são de poucos gritos e praticamente nenhuma palavra extendida (como nossos rouboooooooooooou), mas isso não quer dizer que seja ausente de emoção. Alguns nomes como Quickshot pra mim são mestres em transmitir emoção, importância, dar um clima especial pra cada partida em seu devido contexto.

Desse ponto vem minha maior crítica ao formato de narração brasileiro: a repetitividade. Ao invés de descrever a luta, as habilidades usadas, a jogada do time, as lutas são narradas "doooooubleeeeee kiiiillll do fulano, vem pro triple vem pro triple vai pegar olha só triiiiiiiiiipleeeeeeeeee killll do fulaaaanooo"... Isso acaba de me dar 0 informações sobre o que acabou de acontecer na luta em si, quais campeões foram relevantes, quem acertou, quem errou, quem ultou.

A repetição, ou os chamados "jargões", acabam muitas vezes dificultando que uma partida ou luta seja vista como única, especial ou diferente. Todo jogo é "dooooooubleeee killl", todo jogo é "e o time A obliteera o time B", todo jogo é "roboooooo robooo o barãoo é incrível é o x". Falta dar um sabor especial, falta um improviso, falta um pouco de espontaneidade na narração de toboco/schaeppi.

Muitas vezes uma frase com efeito falada normalmente é muito mais emocionante que um grito alto e longo. É isso que ainda nos falta.

@Baialardi

otima analise da narração br, além de descrever com detalhes como é a narração brasileira e apontar os erros ainda apresentou soluções com comparações fieis e experiência de fã, gostei muito da sua resposta não conseguiria fazer melhor.