cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 

Conceito de nova campeã - Milla Le’Fannu, a Sedenta Acorrentada

Região: Piltover & Zaun

Classe: Lutador

Dificuldade: 2

Rota: Topo

 

História

Em algum momento no passado da Cidade do Progresso houveram uma série de incidentes bastantes estranhos e até perturbadores, imagens que chocam qualquer pessoa mesmo que ela alegue possuir estomago tendo em vista tamanha brutalidade, todos estes eventos acabaram sendo registrados, processados e impressos, só depois trancados a sete chaves, no entanto, estes arquivos secretos se perderam com o tempo sem deixar rastros, não deixando nem mesmo algo que pudesse ser usado na investigação do departamento da polícia, provavelmente tendo sido roubados ou vendidos através de negociações clandestinas, uma tentativa dos envolvidos de acobertar uma existência sombria com uma história no mínimo curiosa de veracidade questionável.

Tudo teve início após o que aparentava ser uma incrível descoberta arqueológica em uma espécie de tumba antiga em um espaço muito bem escondido no extremo sul de Shurima, um pouco mais abaixo do grande rio que corta o continente e ficando próximo de onde se localizava o extinto Império Icathiano, lá um grupo de pesquisadores encontrou uma espécie animal peculiar fossilizado e decidem extrair daquilo o maior número de amostras que pudessem carregar para fins acadêmicos, mas entre os integrantes da equipe havia alguns com interesse em seguir por um caminho particularmente diferente, visualizando naquele achado histórico a possibilidade de lucrar com algo completamente novo, mesmo que envolvesse alto risco e controversas que não agradariam em nada seus superiores e portanto todo esse projeto idealizado foi mantido em absoluto sigilo. As camadas mais baixas da cidade poluída de Zaun acabou por ser lugar ideal para que fossem conduzidos os sinistros experimentos genéticos que o time tanto queria realizar, com a ajuda de alguns barões e organizações criminosas na coleta de cobaias e utensílios, sendo ambos generosamente bem compensados financeiramente, é que deu início a um longo trabalho na tentativa de recriar o que seria o mais amedrontador dos predadores, todavia somente depois de quase duas décadas foi que o sonho não parecia tão distante, obtendo dessa maneira o seu primeiro resultado.

Apesar de toda a empolgação, naturalmente por conta de todo suor derramado, além dos dias e noites que a maioria passou sem descansar trabalhando no que mais parecia um sonho perdido, com este finalmente rendendo frutos, devido a negligências e até ignorância dos demais envolvidos a monstruosidade mesmo com alguns poucos meses de vida acabou escapando de seu cárcere e dirigiu-se aos poucos até a superfície, deixando rastros e mais rastros de sangue e morte antes de pôr suas patas encardidas na prospera cidade de Piltover. Poucas horas antes da última façanha da vida daquela criatura desenfreada a organização reuniu o maior número de homens disponíveis os instruindo para que estes apenas a capturassem, caso isso não fosse possível que eles ao menos trouxessem sua carcaça intacta, assim grupos se dividiram e discretamente saíram disfarçados pela cidade preparados para caçar a fera que devido aos raios do sol queimarem sua pele e seus olhos foi obrigada a esgueirar-se por becos escuros e a abrir caminho por dentro das casas, acabando por arruinar inúmeras famílias indiscriminadamente, parando somente depois de invadir o interior de um dirigível que ainda não havia içado voo. Inicialmente o terror tomou conta da maioria que estava ali presente os fazendo sair do local em desespero e no meio de tanto caos é que surgi homens fortemente armados embarcando dentro da máquina voadora, porém os envolvidos decidem ao invés de entrar em combate com o monstro que iriam ficar apenas o observando se surpreendendo com um comportamento muito diferente de alguns minutos, seus movimentos eram lerdos e imprecisos, constantemente tossia como se estivesse sufocando e suas patas traseiras tremiam como quem sustenta muito peso, até que ao final do seu surto a besta sem hesitar cai morta no chão.

O estrago causado pela criação da equipe de pesquisadores era enorme e a situação colocava em xeque a reputação de cada um daquele círculo caso fossem descobertos, demorou vários dias para que pudessem limpar toda aquela bagunça, além obviamente de elaborar uma boa desculpa pra desviar a atenção do restante da população e figurões indesejados, e durante a arrumação feita na Cidade-Estado foi descoberto que havia uma vítima que milagrosamente sobreviveu ao ataque da criatura, também que ela apresentou um comportamento muito estranho enquanto prestava um depoimento após a trágica morte dos seus guardiões, logo depois dessa informação ter chegado aos ouvidos da organização foi decretado que a menina deveria ser levada para ser examinada. Se aproveitando do momento de vulnerabilidade da criança não somente levando em conta a questão que envolve sua sanidade danificada após aquele evento traumático ou sua nova e peculiar condição, mas também avaliando suas conexões familiares, logo perceberam que se tratava de alguém insignificante mesmo sendo uma aristocrata, que ninguém notaria caso desaparecesse do mapa, com isso conseguindo efetuar sua captura facilmente. Anos passaram em um piscar de olhos desde seu sequestro e devido aos tratamentos que a garota recebeu ao longo do tempo em seu novo lar, sendo submetida a experimentos dolorosos e passando por ineficazes seções de limpeza de mente, ao atingir a fase adulta ela acabou se moldando e se convertendo em um membro ativo da organização clandestina deveras violenta, geralmente muito sarcástica e impiedosa, que serve "fielmente" o que lhe é ordenado quase que unicamente por conta de suas necessidades de alimentação, mas a jovem conhecida pelo nome de Milla Le’Fannu também tem seus caprichos e a sedenta acorrentada espera ansiosamente, enquanto prepara o terreno, pelo momento em que irá se deleitar com o sague escorrendo das gargantas de seus mestres insolentes.

~Uma vez me disseram que ações "claras" camuflam almas "escuras", como um deslumbrante véu pálido em matrimonio.

 

Aparência & Vestimentas

Tratasse de uma jovem mulher de baixa estatura, apresenta longos cabelos negros com uma longa mecha prateada se destacando no lado esquerdo de sua cabeça, sua pele é excessivamente pálida com um tom violeta que se evidencia em algumas partes do seu corpo como orelhas e bochechas, possui olhos completamente pretos não deixando sinal algum de que existe uma íris ou pupila sem variar com seu estado de humor, seus lábios são bem vermelhos e suas presas afiadas sempre se destacam para fora de sua boca. Ela utiliza um longo vestido branco recheado com bordas detalhadas pretas e uma grande fita em forma de laço de cor branca com minúsculos detalhes em dourados enrolada em sua cintura, além de Milla sempre ser vista usando um grande chapéu de sol branco com alguns pequenos laços o compondo. A vampira também utiliza um lenço de pescoço, naturalmente para cobrir uma coleira metálica sofisticada, também se utiliza de uma máscara com um olhar malicioso desenhado que cobre apenas a metade superior de sua face e em ambas as mãos há pulseiras de metal que esteticamente lembram o esqueleto das mãos humanas, a mesma ainda usa um bracelete prateado discreto em seu antebraço, porém este não é visível em tempo integral uma vez que está sendo acobertado pelas longas mangas do vestido.

~Sabe, roupas escuras até serviriam pra esconder as manchas e evitar tumultos,...mas aí perde a graça.

 

Alguns Status Base

Velocidade de Ataque: 0.690 | Alcance de auto ataque (AA): 125 unidade (corpo-a-corpo) | Velocidade de Movimento: 340

 

Habilidades

Tratamento da Casa [Passiva]

Há uma sofisticada coleira presa em seu pescoço por seus mestres que serve para incentivar a mesma a lutar, porém somente sob condições desfavoráveis e isso se deve pelos constantes choques administrados remotamente fazendo com que a dama vampira não possua Regeneração de Vida inerente em seus status básicos, além de também possuir uma recuperação de vida mais lenta ao estar na fonte aliada. Se sair de combate ainda estando na presença de unidades inimigas a ferramenta controladora liberará uma forte descarga elétrica causando pequenas quantidades de dano mágico por segundo contra a campeã durante algum tempo, no entanto, caso retorne ao combate ainda estando eletrocutada seu primeiro ataque básico ou habilidade irá atordoar o primeiro campeão que atingir por um breve período e também causará um adicional de dano mágico com base na diferença da Vida Atual entre ela e o alvo.

O dano proveniente da passiva, enquanto Milla Le’Fannu está eletrocutada, não pode abate-la quando sua barra de vida estiver quase totalmente esgotada, nesse momento ela recebe porcentagens cada vez menores de dano até chegar a uma quantia nula.

 

Perfuração com Classe [Q]

Le’Fannu realiza uma rápida estocada a sua frente na direção-alvo, estendendo ao máximo seu braço procurando fincar suas garras no peito de seus adversários, interrompendo canalizações e causando dano físico a primeira unidade atingida. Através do sangue fresco que escorre por seu corpo devido aos ferimentos expostos a donzela vampira usa seus dons ocultos para contornar a situação a seu favor, manipulando uma porção do próprio sangue afim de criar extensões, com isso a habilidade recebe porcentagem de dano físico adicional e alcance extra com base na Vida Perdida.

Receber determinadas quantidades de dano enquanto fora de combate reduz o tempo de recarga desta habilidade.

 

Descarada, mas Primorosa [W]

Sempre após Milla Le’Fannu ter efetivado um auto ataque contra qualquer unidade, exceto por estruturas, dentro do período de 1 segundo ela pode ativar esta habilidade selecionado seu alvo dentre os inimigos que estiverem pelas proximidades, nessa hora a mesma irá brandir perfurando seu adversário com uma longa agulha que surge da parte frontal de seu bracelete causando dano físico por duas vezes e em seguida recebendo uma cura, maior com Vida Perdia, ao ingerir o sangue que escorre da arma. A habilidade pode ser reativada um total de duas vezes após seu primeiro uso com um curto intervalo obrigatório antes de entrar em tempo de recarga, sendo que, a última conjuração também entrega a donzela sedenta velocidade de movimento adicional e efeito fantasma por um breve período.

 

Baile Vermelho [E]

Ao ativar a habilidade os instintos de Milla ficam a flor da pele, mesmo assim ela procura conter-se afim de tornar a caçada mais gratificante, canalizando ao seu redor uma área que cresce até uma certa distância durante alguns instantes podendo se movimentar e realizar algumas ações enquanto isso, porém sofre com uma lentidão. Quando o tempo de canalização tiver sido finalizado, ou ao reativar a habilidade, desde que haja campeões inimigos presentes na área criada isso fará com que a Sedenta Acorrentada avance velozmente contra todos os alvos próximos dentro do local demarcado os abocanhando violentamente pelos pescoços causando dano físico elevado e curando uma parcela de sua vida com base em sua Vida Máxima.

Esta habilidade quando a dama vampira retorna ao combate estando eletrocutada, devido os efeitos de Tratamento da Casa, replica o atordoamento para além do primeiro alvo a ser atingido.

 

*Não possui Ultmate, explicações a seguir em Notas/Curiosidades*

 

Notas/Curiosidades:

  • Como eu estou voltando agora, com o hobby de criar campeões, não tive muita paciência pra pensar no seu balanceamento de uma maneira mais detalhada (até por esse motivo não propus quais seriam suas runas usuais), me dei apenas o trabalha de deixar as ideias da forma mais clara possível e também procurei por descrições que fossem razoáveis e entendíveis pra compor o kit de Milla;
  • A campeã deste conceito tem como uma de suas principais inspirações uma personagem do anime e novel Overlord, no caso Shalltear Bloodfallen;
  • O nome da campeã faz referência a personagem "Carmilla" criada pelo escritor irlandês Joseph Thomas Sheridan Le Fanu no ano de 1872, como uma abreviação, além disso está também carregar o sobrenome do autor como um forma de homenagem, porém da mesma forma que é escrito quando alguém em Runeterra se refere as criaturas do vazio, usando o dialeto Shurimane antigo;
  • Na história fiz a criatura inicialmente apresentada, não a campeã, morrer por causas naturais apenas pra mostrar que o experimentos tinha falhas;
  • Devido as constantes preocupações que a campeã teria com relação a sua vida, ficou descido que seria uma personagem que não se utiliza de mana;
  • Inicialmente sua passiva levaria o nome de Combate Forçado e também tinha o diferencial de não permitir que a campeã se recuperasse ao estar na fonte aliada, exceto ao renascer depois de morta, mas a ideia ficou um muito estranha e logo sofreu alterações;
  • O fato de Tratamento da Casa, sua passiva, causar um atordoamento nos inimigos é baseado na ideia de que o choque elétrico que a campeã recebe é tão forte ao ponto do mesmo poder transcorrer dela para um outro corpo com um mísero contato físico;
  • Falando da estética visual da personagem por conta da existência da habilidade Q, ou Perfuração com Classe, imagino que sempre que Milla Le’Fannu estivesse com pouca vida, respeitando o que foi descrito na segunda parte da habilidade, suas vestimentas tipicamente brancas começariam a ser preenchidas com vermelho rubro;
  • Com relação a mecânica da habilidade Baile Vermelho, é importante informar que uma vez que a área demarcada ao seu redor estiver completamente formada, ou caso o jogador decida reativar a habilidade antecipadamente (com o intuito de agilizar o processo), o avanço da campeã considerará somente como seus alvos os inimigos que já estavam dentro do local marcado e não os que entraram no raio de ação posteriormente;
  • Le’Fannu não possui uma Ultmate principalmente pela razão dos seus primeiros conceitos terem sido logo descartados por mim, justamente por conta da mecânica do R não contribuir para criar uma identidade única a personagem, aliás as tentativas ou destoavam demais do restante do kit conceitualmente ou não encaixavam com o restante das habilidades, acabando por serem apenas as mesmas habilidades de outros campeões, só mudando sua roupagem.
  • A ideia principal com relação a sua habilidade Ultmate, a título de curiosidade, seria que a mesma carregasse uma porção passiva e outra ativa, sendo que, a parte passiva entregaria status bônus permanente para a personagem para cada Ponto de Habilidade usando na evolução da habilidade;
  • Em tese seu kit de habilidades está incompleto, devido à falta da Ult, embora não considere isso como algo necessariamente ruim.

~Eu nunca falo blá blá blá ao final de cada frase, traste.

 

Isso é tudo por hoje pessoal e devo dizer de estou bastante contente por poder voltar a fazer aquilo que mais gosto. Peço para que comentem o que acharam e aproveitem pra fazer suas críticas, caso tiverem alguma dúvida basta me perguntar, e também devo pedir pra compartilharem com mais pessoas.

 

Link para minha postagem de conceito de rework de campeão aqui.

Link para postagens de conceito de campeão em seus nomes (Elif; Unghre; Mayh; Koriauge; Borts).

 

(\(\
(Ô.Ô) Battle!
(U U)
Etiqueta (2)
2 RESPOSTAS
AAI  CALICA
Tropa
Tropa

amigo o fato de ter um personagem com uma coleira no pescoço e ser forçada a lutar por alguém que comande as correntes trás a ideia de escravidão que é um assunto muito delicado( e digo todos os tipos de escravidão seja por raça, guerra, etc...) muito facilmente a rito teria problemas com isso mas o fato de tu se dedicar tanto pra imaginar uma campeã do 0 e pensar tudo pra ela me faz pensar em por que você não tenta trabalhar com a riot? dependendo do que você cursa/trabalha ou pensa em fazer, você poderia ter futuro la dentro

Muito bom o conceito curti pra caramba, só achei que teve bastante encheção de linguiça na lore, sla podia ser um pouco mais resumida, mas não tá ruim não. As habilidades tão muito legais, ta tudo bem amarradinho e elas tem otimas sacadas mano.