cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 
Libre2001
Tropa
Tropa

Criação de campeão: Pax, o deus da luz.

Nome: Pax.
Nome de origem: Pietro Arteciux
Classe: Mago/Suporte.
Dano: Mágico.
Origem: Noxus.
Idade: 20.
Dificuldade: Alta.
Momento em que surge em Runeterra: O despertar dos observadores.

História: Nos arredores da cidade de Noxus, numa pequena vila, sobreviventes de guerra e sobreviventes da injustiça do temido Império Noxiano, nasceu um menino.
Menino fraco, pobre e sozinho, um qualquer em Runeterra. Seus pais morreram por sua pátria, ou devo dizer, pelo seu rei... Enterrados em uma vala qualquer deixaram o menino de apenas 6 anos largado e faminto nos becos de Noxus.
Pietro viveu sempre pelos outros, assim como o seus pais. Descobriu o dom da magia aos 8 anos e começou a ajudar os feridos, e os poucos que voltavam.
Na véspera de seus 16 anos, momento em que cada menino de Noxus é recrutado obrigatoriamente pelo exército, Pietro viu uma das maiores injustiças de sua vida.
Um pai de família que acabará de voltar para casa, após anos sem ver a família, é obrigado a voltar para o exército em mais uma batalha. E no momento que o homem nega a lutar, pelo rei, toda a família é morta como se fossem um grupo de ovelhas. 
Pietro percebeu naquele momento que a guerra não servia para nada além de trazer mais injustiça e morte para todos.
Percebeu que os "reis" nunca estarão satisfeitos se não tiverem tudo, e todos implorando por misericórdia.
Percebeu que os deuses não se importavam com os mortais, não importava o quanto rezassem, ou o quanto gritassem pedindo ajuda.
Negando-se a se juntar ao exército o menino foi levado à um tenente, homem mesquinho e arrogante, que disse:
- Se não irá servir à Noxus, então não irá servir à mais ninguém. Joguem-no aos lobos...

O menino lembrando das histórias que o seu povo contava, dos maravilhosos deuses, dos quais tanto implorava por ajuda, e nunca vinham. O menino começou, no restante de sua esperança, a pedir a ajuda de seus deuses.
Ouvindo a reza do menino o tenente ordenou que levasse o menino ao Monte Targon:
- Ahhhh rezando para os "deuses", vamos ver se os seus deuses irão te ouvir. Quer conhece-los? Levem-no para o Monte Targon, haahahahaha, vai preferir ter sido morto pelos lobos, menino.

Pietro amarrado em correntes dos peças à cabeça foi levado ao "Lar dos deuses" para que morresse.
Subindo o Monte Targon o menino batalhou contra inúmeras monstruosidades, e foi não apenas descobrindo a si mesmo mas também à suas habilidades.
Como um mago Pietro, jogou monstros do alta da montanha e defendeu-se de todos os danos.
Como se fosse um verdadeiro rei, foi a batalha com sua clava (mágica obviamente) fazendo os monstrengos fugirem perante a fúria noxiana.
Como um anjo, subiu de volta aos céus curando-se de seus ferimentos e trazendo a luz a todas as suas dificuldades.
Pietro não acreditando, que finalmente subiu ao topo, com as asas de um anjo e a mesma sensação de voltar para casa(a mesma sensação daquele homem que teve a família morta).
Sentando-se na beirada da montanha, e observando o quão belo era Runeterra, Pietro sentiu a mesma sensação que teve ao curar os feridos, ao alimentar os pobres,
ao brincar com as outras crianças, uma sensação que para Pietro não havia nome e nem descrição.
- Que bela visão, não é?
Pergunta o estranho homem, que apareceu ao lado do menino.

- Quem é você? Você é um deus?
Pergunta um pouco assustado, o menino.

- Sim, meu nome é Ohan, e eu não sou qualquer deus, eu sou o deus da LUZ, o mais forte dos deuses! E você deve ser o meu hospedeiro, imagino... Além do mais você foi um dos poucos a sobreviver à chegada até aqui. Responde o deus.

O menino confuso questiona:
- Ahh então você é capaz de acabar com a guerra? Peraí, como assim hospedeiro???

O deus arrogante e incrédulo com a idiotice do menino, explica em um tom com uma certa sensualidade:
- Nossa, que menino TOLO, nós deuses não podemos surgir no mundo mortal sem ter um hospedeiro, um receptáculo, alguém que nós possamos possuir o corpo para exercer o nosso papel divino no mundo dos mortais.

O menino pensativo, relembrando de suas preces e lembrando da dor e sofrimento daquele homem, que foi levado à força pelos soldados, enquanto a sua família implorava aos deuses e ao rei, para que não os matassem, retrucou:
- Não, não, eu não vou ser o seu receptáculo. Os DEUSES não se importam com os MORTAIS, só se importam consigo mesmos.
- Onde está à deusa da justiça quando precisávamos?
- Onde está o deus da proteção quando precisávamos?
- Onde estava VOCÊ quando precisávamos?
- Vocês só se preocupam com vocês mesmos, seus arrogantes!
- São iguais aos reis, só estavam satisfeitos quanto todos imploram!

Em um relance de raiva Ohan lança uma lâmina de metal reluzente, enquanto grita:
- NÃO ME COMPARE COM ESSES MORTAIS NOJENTOS!!!

Pietro escapa da lâmina, que acabou por aranhar a sua bochecha e conjura a sua habilidade, força da esperança, que acaba jogando o deus para trás.
Ohan manda a sua lâmina, encantada, voltar cortando dessa vez, o ombro do menino.
O deus da luz, invoca correntes douradas, que se amarram aos pulsos e pernas de Pietro, jogando-o contra uma pedra enorme, em formato de parede.

Ohan em uma pequena gargalhada diz:
- Hahahaha , você achou mesmo que iria me vencer, NA MINHA CASA??? Mas você é muito tolo mesmo, menino.
- Se bem que, pode ser tolo mas até que é bem bonitinho. Você poderia ficar aqui comigo, como a minha esposa, enquanto esperamos pelo próximo hospedeiro. O que acha?

Ohan se aproxima de Pietro, que já cansado das batalhas, e da subida da montanha, não resiste quando o deus o beija à força.
Ohan se afasta um pouco para ver o rosto do menino e cura o ferimento da bochecha.
Pietro sentindo algo que nunca havia sentido por alguém antes, algo que o menino sabia que não devia sentir, já que ele é o seu inimigo, o beija como se o seu corpo estivesse o controlando.
O menino sente que como se as suas almas estivessem se conectando.

Ohan se afasta do menino e fala com um sorriso no rosto:
- Hahaha eu sabia que você não vinha sem segundas intenções menino tolo.

Ohan começa a sentir uma forte dor no peito, e começa a cuspir sangue, ficando por fim com uma falta de ar.
O deus confuso questiona desesperadamente o que o menino havia feito:
- Mas o que está acontecendo? Eu, eu sou um deus. Eu sou imortal, não tenho doenças, não posso morrer. O que você fez menino tolo? O QUE VOCÊ FEZ?

As correntes caem ao chão assim como o todo poderoso, deus da luz.

Pietro se aproxima aos poucos de Ohan e deita-o em seu colo, dizendo:
- Você precisa morrer, para que possa renascer, querido...

Ohan ainda mais confuso questiona:
- Do que você está falando? Espera, você não é mais aquele menino, quem é você?

O menino, responde:
- Ótima pergunta, mas você deveria perguntar o que sou eu. Eu sou um deus, mas não qualquer deus, EU SOU O DEUS DA LUZ.
- E você querido é apenas um mortal tão arrogante, que chegava a se chamar de "o deus mais forte".

Oham não entendendo o que está acontecendo pergunta:
- O que? Mas do que você está falando, eu sou o deus da luz e você é apenas um mortal.
- Um mortal que vai estar morto assim que eu melhorar.

Pietro explica:
- Ohh querido, acho que você era o tolo aqui.
- Os deuses são movidos pela sua graça, é isso que os torna tão fortes e imortais.
- A graça pode ser passadas de duas formas:
- 1, No momento em que os deuses têm filhos.
- e 2, No momento em que os deuses abdicam, ou se preferir, desistem, de sua graça.
- No seu caso você recebeu duas graças, a de sua mãe, a antiga deusa da luz e a de seu pai, o deus da liderança.
- Mas com qual graça você iria ficar?
- No dia de seu nascimento a sua mãe foi morta por um mortal, sim um mortal.
- Existem três armas que podem matar deuses:
- 1, O colar da vida, em posse da ex-deusa da luz.
- 2, A lâmina de sangue de prata, em posse dos mortais.
- E finalmente, 3, A luva da julgamento final em posse do ex-deus da liderança.
- Como os seus pais tinham duas dessas armas, já sabemos qual foi a que matou ela.
- Mas a graça escolhe o seu herdeiro, e no momento, o mais digno da graça da luz era você.
- Mas e cadê o seu papaizinho? Você o conheceu?
- Ele não sabendo mais o que fazer, achando que perdeu a sua mãe e também a você, desistiu da vida e se jogou em um abismo, você já deve ter ouvido falar nos observadores não é mesmo?
- Mas vejam só, a graça dele, onde está? Não, não se preocupe, o seu pai abdicou dela antes de cair no abismo, e ela foi parar diretamente na barriga de sua mãe.
- Oopss mas esse bebê já possui uma graça, ele pode ter duas??
- Responda-me você, se conseguir ainda, hahaha..

Ohan já quase sem folego responde:
- Um deuss... não pode.. mais graça... ele morre.

Num bater de palmas Pietro confirma:
- Isso mesmo querido, muito bem...
- A graça de seu pai está inativa dentro de você esperando pelo verdadeiro herdeiro, mas você não é digno o suficiente, pelo menos não ainda.
- Isso que você está sentindo agora, essa dor, esse sangue, esse vazio, é a graça da luz saindo de você e indo para mim.
- EU SOU O VERDADEIRO HERDEIRO DA LUZ, PORQUE EU SOU MAIS DIGNO.
- Você querido é o herdeiro da liderança, quer dizer, ainda não.

Assim como a sua mãe morreu por um mortal você morre por um mortal, mas não se preocupe, querido, eu irei cuidar de você.

Ohan já fechando os olhos, e esperando pelo eterno descanso, pergunta:
- Com... aasssiimm?

Pietro mexendo delicadamente nos cabelos de Ohan, explica:
- Ahh querido a graça da liderança, ainda reside em você, mas você não é digno de tê-la.
- Existe uma história, que o povo de Runeterra conta. A história de que um homem que se torna o líder, não só dos deuses, mas também dos mortais, ele é a salvação, ele é a esperança.
- Meu querido está na hora de você ir, mas não se preocupe você me verá de novo.
- Terá outra aparência, outra casa, outro nome e é claro outras habilidades.
- Mas toda vez que você me ver, será o mesmo sentimento que levou o seu pai ao abismo, um amor eterno, como se você amor a primeira vista.
- Veja bem, as nossas almas, as nossas graças, estão ligadas uma a outra. Eu sou o seu salvador e você é o meu.
- Eu sou o imortal e você o mortal, eu sou a luz e você a sombra, nós não vivemos sem o outro.
- Agora é hora de ir querido... Até a próxima.

Pietro beija novamente os lábios de Ohan, extraindo a sua alma e a graça da liderança inativa.
Ohan dorme o sono da eternidade, deitado ao colo de Pietro que vislumbra o horizonte.
Pietro nota que alguém está se aproximando, e vira bruscamente para ele.

Pietro em uma língua antiga conjura uma de sua novas habilidades como o deus da luz:
- Você não vai tomar ele de mim, Kindred, "REPULSÃO DIVINA".

Kindred desaparece. Pietro levanta-se e vai novamente à beirada do Monte Targon.
Ao chegar à beirada, Pietro sopra a alma de Ohan ao vento em direção à Ionia:
- Vá meu amor, renasça como um mortal e torne-se a esperança de todos!
- Você precisa sofrer como um qualquer, lutar como um qualquer, se tornar um qualquer.
- A violência é o seu caminho, somente assim você poderá perceber o quão mal este mundo é.
- Eu irei lhe cuidar meu amor, meu querido, Sett.

Em um longo suspiro, Pietro se volta para a direção de noxus, e se atira do alto da montanha, porém não cai. O menino anda como se houvesse chão no ar. Sem nem precisar de suas asas, que se desfazem ao vento.
Pietro materializa o Colar da vida, que estava em posse da ex-deusa da luz, e coloca-o em seu pescoço, dizendo:
- É hora de trazer a PAZ que todos querem, é hora de reagir povo de noxus, é hora de reagir, povo de Runeterra.
- Rezem meus amigos, mas dessa vez, rezem não pelos seus deuses, pois eles não virão, nunca a mais.
- Rezem por suas vidas. REZEM POR PAX!
- "LUZ ETERNA!"

Um brilho clareia toda Runeterra, como se um novo Sol, surgisse no Monte Targon.

20 anos depois:

Pax cuidando de longe de Sett e florescendo aos poucos o seu amor, após 20 anos acha melhor deixá-lo sozinho para descobrir o seu próprio caminho.
Pax toca o ar, gerando ondas como se fosse a água.
Ele atravessa essas ondas e reaparece em Noxus, com uma túnica branca e dourada além de uma espécie de coroa (auréola).
Pax abre os olhos, estando estes, focados no castelo noxiano e diz:
- Bemm, vamos começar...

No momento em que iria conjurar uma habilidade, a terra treme e um som alto e estridente ecoa por toda a Runeterra, o vazio.

Continua em o despertar do vazio...

Habilidades:
OBS.: Pax evolui conforme chega aos níveis de melhora da ultimate(assim como Kayle), mudando as habilidades, a forma de utilização de recursos, o dano em área e também a sua própria aparência.

Nível 1 ao 5 - Mago (Mago)

Q - Choque Etéreo - Lança um relâmpago 50(+70%AP) de médio alcance (semelhante ao de Lucian), que se atingido o alvo, ele é paralisado por 1.5 segundos.
*Carregado - Se Pax carregar a habilidade por pelo menos 7 segundos, Choque etéreo assume alcance infinito e dano imediato ao primeiro inimigo, porém com 70% do poder original. A habilidade carregada não paralisa o alvo.

W - Atração gravitacional - Pax cria um círculo que atraí tudo que está próximo dele reduzindo a velocidade de movimento 5%(+2%AP) dos inimigos. Após Atração gravitacional explodir, causa 30(+60%AP), causando dano extra aos inimigos que estiverem em seu centro(+20% em relação ao resto do círculo). Atração gravitacional dura 4 segundos e pode explodir antes, se conjurado novamente. 

E - Escudo da esperança - Pax, concede um escudo a si mesmo ou a um aliado que estiver dentro de uma área de 1500 unidades, protegendo-o de dano físico, 15(+30%Armadura) e dano mágico, 20(+35%MR) por 3 segundos. Se concedido à um aliado, este ganha velocidade de movimento 5%(+1%AP) por 1.5 segundos.

Nível 6 ao 10 - Rei (Tanque)

Q - Lançamento horizontal - Pax, lança a sua clava a frente, que se reparte horizontalmente em dois pedaços(em formato de T), causando dano 50(+75%AP) aos inimigos. Lançamento horizontal também causa redução de velocidade 3%(+2%AP) nos inimigos por 1.5 segundos.

W - Sacrifício - Pax coloca-se a frente de seu aliado concedendo um escudo que protege ambos de dano físico, 20(+10%Armadura) e dano mágico, 25(+15%MR). Pax também lança a sua clava à frente causando dano 25(+60%AP) e paralisando o alvo por 1 segundo.

E - Inspiração de guerra - Pax, concede um escudo a si mesmo e a todos os aliados que estiverem dentro de um raio de 200 unidades protegendo-os de dano físico, 25(+20%Armadura) e dano mágico, 30(+25%MR) por 3 segundos. Todos os aliados ganham velocidade de movimento 10%(+1%AP) por 2 segundos. Se Pax estiver utilizando Colar da vida concede 10% de armadura e resistência mágica extra.

R - Última batalha - Pax conjura dois arcos, um numa área mais larga e menos comprida, à frente, e o outro menos largo e por longa distância, atrás. O primeiro arco lança uma clava por 2.5 segundos, que nocauteiam 100(+60%AP) os inimigos, e concede escudo aos aliados, protegendo-os de dano físico, 15(+20%Armadura) e dano mágico, 20 (+25%MR). Também concede aumento da velocidade de movimento, 3%(+2%AP) aos aliados.
O segundo arco protege os aliados de dano físico, 35(+25%Armadura) e dano mágico, 45(+30%MR) além de aumentar o dano aliado em 3%(+1%AP) durante 3 segundos. Causa também redução da velocidade de movimento 5%(+1%AP) aos inimigos. Se Pax estiver utilizando Colar da vida concede 10% de armadura e resistência mágica extra.

Nível 11 ao 15 - Arcanjo (Suporte)

Q - Extração sagrada - Pax extrai a alma de seus inimigos causando dano 60(+60%AP) horizontalmente(em forma de T). Extração sagrada também causa redução de velocidade 3%(+5%AP) nos inimigos por 1.5 segundos.

W - Oferenda - Pax coloca-se a frente de seu aliado concedendo um escudo que protege ambos de dano físico, 20(+20%Armadura) e dano mágico, 25(+25%MR). Pax também lança uma de suas asas à frente causando dano 35(+70%AP) e paralisando o alvo por 1 segundo.

E - Gota da vida - Pax, cura a si mesmo e a todos os aliados que estiverem dentro de um raio de 250 unidades em 75(+25%AP) e concede um escudo que protege de dano físico, 10(+15%Armadura) e dano mágico, 15(+25%MR) por 3 segundos. Se Pax estiver utilizando colar da vida concede 10% de vida extra.

R - Éon de chamas - Pax conjura dois arcos, um numa área mais larga e menos comprida, à frente, e o outro menos largo e por longa distância, atrás. O primeiro arco lança chamas por 3 segundos, que purifica 150(+75%AP) os inimigos. Concede um escudo aos aliados, protegendo-os de dano físico, 15(+20%Armadura) e dano mágico, 20 (+25%MR), por 3 segundos. Também concede aumento da velocidade de movimento, 3%(+2%AP) aos aliados.
O segundo arco cura os aliados em 150(+15%AP) além de aumentar o dano aliado em 5%(+2%AP) durante 3 segundos. Causa também redução da velocidade de movimento 5%(+1%AP) aos inimigos. Se Pax estiver utilizando colar da vida concede 10% de vida extra.

Nível 16 ao 18 - Deus da Luz (Mago)

Q - Repulsão divina - Lança um feixe de luz(assim como choque etéreo) 70(+60%AP) de médio alcance, que se atingido o alvo, ele é lançado à 20(+2%AP) unidades para trás, paralisando o alvo por 1 segundo.
*Carregado - Se Pax carregar a habilidade por pelo menos 7 segundos, Repulsão Divina assume alcance infinito e dano imediato, assim como a luz, porém com 90% do poder original. A habilidade carregada não paralisa, porém o alvo é lançado à 10(+2%AP) unidades para trás.

W - Piedade - Pax cria um círculo que causa dano 45(+50%AP) e reduz a velocidade de movimento 3%(+1%AP) dos inimigos. Após Piedade explodir, todos os inimigos no centro do círculo, se tornam estátuas de anjos e são paralisados por 1 segundo, recebendo dano extra (+20% em relação ao resto do círculo). Piedade dura 5 segundos e pode explodir antes, se conjurado novamente. 

E - Proteção etérea - Pax, concede um escudo a todos os aliados, que estiverem dentro de uma área de 2000 unidades, protegendo-os de dano físico, 25(+40%Armadura) e dano mágico, 30 (+45%MR) por 4 segundos. Todos os aliados ganham velocidade de movimento 5%(+1%AP) por 1.5 segundos. Se Pax estiver utilizando Colar da vida concede 10% de armadura e resistência mágica extra.

R - Luz eterna - Lança uma orbe de luz, que pode ser lançada em até 5000 unidades. Causa uma explosão 250(+95%AP) com dano em área que reduz a velocidade de movimento 5%(+1%AP) dos inimigos que estiverem ao redor do centro de explosão. No centro da explosão o dano é igual à 125% do dano original e paralisa os inimigos por 2 segundos.
*Carregado - Se Pax carregar a habilidade por pelo menos 7 segundos, o centro de explosão triplica de tamanho causando 300(+125%AP) aos inimigos. A área ao redor do centro de explosão é aumentada ao infinito, causando dano de 15(+10%AP), porém não reduz a velocidade de movimento. Todos os inimigos dentro da área de explosão(o mapa inteiro), são paralisados por 1 segundo.

1 RESPOSTA
Rydrake
Barão
Barão

Bacana o conceito, @Libre2001