cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 

[Fan-Lore] Soraka

Ir para a solução

Oi galera, me desculpa por ter ido embora sem me despedir. Eu sei que deixei vocês na mão, mas eu precisava cuidar de um assunto pessoal muito importante, então estou mandando essa carta. Sei que não foi legal o jeito que tratei vocês, e não seria justo me desculpar assim, por isso não se preocupem porque eu vou voltar assim que possível.

Já que estou devendo uma pra vocês, vou contar tudo... Tudo sobre minha vida que não contei naquele dia. Mas pra entenderem minha história, precisam saber sobre a história da minha “mãe” primeiro:

Do início:

   Há milhares de anos atrás, uma grande guerra estava acontecendo, chamada de 'A Grande Guerra Rúnica', a minha Mãe viveu nesse tempo, desde criança ela morava em um orfanato, ninguém nunca soube quem eram os pais dela, mesmo assim ela cresceu e decidiu continuar no orfanato para cuidar das crianças, ela gostava muito delas e estava disposta a dar a sua vida por elas, e as crianças gostavam muito dela também, quando completou 30 anos de idade as crianças pegaram o costume de chama-la de Mãe (e ela acabou aderindo a esse jeito de ser chamada até hoje), infelizmente, durante a guerra, um acidente que afetou o orfanato aconteceu e uma criança ficou gravemente ferida, não havia como curar ela. Sem ter outra opção, a mãe decidiu subir o Monte Targon, havia rumores de que quem subisse até o topo dele poderia realizar qualquer desejo que quisesse. Foi uma subida difícil e perigosa, mas a Mãe conseguiu, ela não me disse o que viu lá, apenas me disse que seu desejo foi atendido, ela ficou com a pele roxa, desenhos surgiram na sua pele, os olhos ficaram dourados como um sol e ela recebeu um cajado com uma lua na ponta (e, além disso, também cresceu um chifre na testa dela), ela então se tornou o 'Aspecto da Vida', ela tinha o poder de tirar a vida de algo e colocar em outro lugar, pois só assim o equilíbrio entre a vida e a morte poderia ser mantido com o poder dela. Ela também tinha o poder de ouvir as estrelas, mas isso eu explico depois.

Ao voltar ao orfanato, ela se aproximou da criança, estendeu seu braço sobre ela e em um instante a criança estava curada, apesar de todas as crianças estarem comemorando, a Mãe escondia a dor que sentira, por sacrificar parte de sua saúde pela a da criança, mesmo assim, estava muito feliz com isso.

Com o tempo, a fama da 'Grande Curandeira' se espalhou por todos os lugares, ela se empenhava em curar a todos que vinham até o orfanato, então com o tempo, para suprir a demanda de todas as pessoas que precisavam ser curadas, ela começou a desenvolver outros métodos para curar, como por exemplo, tirar a vida de plantas para dar para as pessoas. Tudo ia bem até um caso onde uma pessoa estava tão ferida que só plantas não adiantariam para curá-la, então a Mãe fez algo bem mais drástico, ela tirou a vida de um animal, ele estava bem idoso e ela estava desesperada, então, depois de a pessoa ser curada, ela desapareceu por um tempo, isso porque não conseguia tirar isso de sua cabeça, era a primeira vez que ela tinha matado algum animal, depois de muita reflexão ela estava decidida de que toda a vida tem valor, e que ela tomaria todo o cuidado para preservar a vida de todos os seres que pudesse (ela tem um pensamento diferente e mais maduro hoje em dia, mas isso não interessa aqui). Ela voltou ao orfanato e continuou a curar as pessoas, mas com maiores limites.

Um dia ela estava fazendo seu trabalho como sempre, quando um guarda demaciano a denunciou dizendo que era uma bruxa, e que matava pessoas para fazer seus feitiços. Isso gerou uma comoção grande e depois de uma revolta pública, ela acabou fugindo, deixando o orfanato e também as crianças que tanto amava para trás. Ela se cobriu por inteiro com uma capa, para não ser reconhecida (ou sequer questionada pela sua aparência diferente) e estava andando sozinha por uma estrada quando ouviu um choro, era uma menininha, mas ela não via ninguém por perto, então percebeu que o choro estava vindo de sua mente, seu poder estava lhe alertando sobre alguém que precisava de sua ajuda. Ela caminhou por dois dias, até chegar a uma casa, ouviu então o mesmo choro vindo dos fundos da casa, a menina estava do lado do corpo caído de sua mãe, estava envenenada por causa de alguma erva selvagem. A Mãe se aproximou, tocou o peito da mulher e num instante ela recuperou a consciência, a menininha abraçou minha Mãe com lágrimas nos olhos, agradecendo muito por ela ter salvado a vida de sua mãe, a mulher lhe convidou para tomar um chá, mas antes de responder, a Mãe ouviu outra voz chorando, de um menino dessa vez, ela disse que precisava ajudar outra pessoa agora e se despediu das duas. Foi nesse momento que a Mãe descobriu o seu propósito no mundo, ela devia ajudar a todos os inocentes que clamam por ajuda!

 

Muitos e muitos anos se passaram e a guerra já tinha acabado, e a Mãe continuava viva, ela tirava a vida de plantas para continuar existindo, viveu o tempo todo indo atrás de qualquer um que ouvisse chorar por ajuda, ela percebeu que a maioria dos pedidos era de crianças, pois elas estavam sempre cheias de esperança de que podiam receber ajuda, e a Mãe sempre ajudava quem ela ouvia lhe chamar. Também percebeu que podia ouvir as estrelas no céu (aparentemente toda a vida tinha início com uma estrela), e como aspecto, ela podia ouvir a sabedoria que tinham pra contar, os segredos do universo e todo o amor que sentiam pela encarnação da própria existência, as estrelas gostavam dela do mesmo jeito que as crianças lá no orfanato e isso fazia ela se sentir feliz de viver assim e queria continuar vivendo assim até o fim dos tempos.

 

Entretanto, essa ideia sumiu completamente quando ela ouviu algo diferente do que estava acostumada a ouvir, ela ouvia risadas de crianças, isso chamou muito a atenção dela, ela foi em direção a elas, mas não encontrou nada. Ela pensou que talvez as risadas viessem de crianças em um tempo futuro, então a Mãe esperou nesse mesmo local. As risadas faziam ela se sentir muito bem, mas a Mãe não sabia ainda o porquê, mas essa sensação era tão boa que fez a Mãe dormir um sono muito profundo, e quando acordou já haviam se passado muitos anos.

Ela estava em um lugar bem escuro e apertado, mas ao se levantar, as paredes ruíram e ela pôde perceber que estava dentro de uma árvore morta já há muito tempo.

Ao olhar em volta, viu um lugar diferente de tudo que já tinha visto antes, era escuro e cheirava mal, gases visivelmente transitavam pelo ar e ruas sujas com iluminação precária (sem sombra de dúvidas, ela estava em Zaum).

A Mãe começou a ouvir novamente as risadas, ela foi seguindo o som até chegar a um parque abandonado, ela viu então as crianças se divertindo, correndo de homens uniformizados bem irritados com elas. Uma das crianças machucou o joelho e teve que se esconder para não ser pego, então como ele estava perto, a Mãe se aproximou e perguntou se podia cuidar do ferimento dele. Apesar de ele estar acostumado a desconfiar de qualquer adulto, alguma coisa o fez se sentir bem confortável com a presença dela e por isso permitiu, a Mãe então usou seu poder para curar imediatamente o menino.

Espantado, ele insistiu que ela fosse conhecer as outras “Crianças perdidas de Zaum” (grupo ao qual eu também faço parte), contou pra ela tudo sobre o grupo e como que um bando de órfãos fazia para sobreviver em um lugar tão cruel (a ainda conseguirem ser a galera mais legal da cidade no processo). A Mãe aceitou, e enquanto ele segurava a mão dela e a levava para o esconderijo, a Mãe conseguiu entender porque se sentia tão bem em ouvir as risadas, era porque ela recuperou aquele prazer que tinha quando cuidava das crianças que não tinham mais ninguém que as cuidasse, e quando não vivia apenas para prolongar a vida dos outros, mas sim para dar significado e propósito, para ser alguém importante para pequenas pessoas que não tinham em quem se espelhar...

Resumindo, depois disso ela passou a cuidar das crianças, que tiveram um grande amor e carinho por ela também, alguns cresceram e foram embora, enquanto que outros ficaram para tentar transformar Zaum em um lugar melhor, porém eu não sou tão idealista assim e me tornei a mercenária que vocês conheceram-

 

- Ela estava escrevendo quando Soraka entrou no quarto.

Soraka: Filha, já está tarde, é melhor ir dormir logo...

????: Tá bom Mãe, eu já estou terminando de escrever isso e vou me deitar!

Soraka: Está escrevendo para algum amigo?

???? É, tipo isso...

Soraka: (suspira) Olha só pra você, já tem o corpo de uma mulher adulta... Como você cresceu...

????: Eu não posso ser criança pra sempre, né Mãe?

Soraka: Mesmo assim, você sempre vai ser a minha garotinha... Eu te amo tanto...

????: Eu também te amo Mãe... Muito mesmo!

Soraka vai até a porta.

Soraka: Boa noite Sivir, descansa bem!

Sivir parou por um momento, então voltou a escrever.

 

- Enfim, a Mãe continuou lá e eu voltei porque ela me chamou.

Eu sei que vai ser difícil pra vocês ficarem aí sem o meu carisma inigualável, mas eu vou ver vocês novamente, só que não até resolver um problema aqui de casa.

 

                                                                                                                                 -Sivir

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ZOEIRA, acharam que eu esqueci de contar o meu lado da história não é? Eu mandei em uma carta separada que chega mais tarde só pra mexer com vocês!

 

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=

Continua...

Etiqueta (1)
  • LOL

1 SOLUÇÃO ACEITA

Soluções aceitas

kkkk, eu sou main Soraka tbm e de fato é maravilhoso tiltar o time inimigo com ela com um one shot invertido (healar o life do adc inteiro de uma vez), na história eu quis fazer algo diferente, já que ela tem essa temática de curar, ajudar e proteger os outros, pensei em colocar ela como uma personagem "mãezona" (já que não temos um campeão assim no LoL), e quando pensei em colocar ela como mãe, já me veio em mente as Crianças Perdidas de Zaum (Jinx, Vi, Ekko, e outros que só tem na lore), colocar a Soraka como uma "mãe" delas poderia ser muito interessante, porque já junta com os esforços do Ekko de querer mudar essa reputação ruim de que "Zaum é uma Piltover ruim", e com a motivação da Soraka de querer ajudar os mais fracos e necessitados, acho que essa ideia pode ser muito mais explorada ainda!
Ela também pode interagir com o novo Warwick (já que na história dele atual, ele não conhece ela, diferente da antiga), e com outros personagens, fora que ela poderia ser uma andarilha antes disso e ter participado de muitos eventos.
E pra não deixar de lado, quero fazer ela ajudar Ionia na luta contra Noxus (a que aconteceu e a que vai acontecer), mas ainda vou ver como fazer isso.

Ver Resposta em Destaque no post original

5 RESPOSTAS
soiieu
Aronguejo
Aronguejo

valeu intenção, mas não tem o selo soiieu de qualidade, soraka em shurima, talves, milhares de anos atras talves, durante as guerras runicas sim, longe de mim duvidar de sua capacidade, ta muito bem escrito, se eu não conhecesse a lore acreditaia facil, mas é bem mais dificil é escrever algo com base em outro algo, eu recomendo criar outro personagem que não segue a soraka, porque ela encontra o ww, e é justamente o ww que tira ela do tranze das tulipas, cria ai uma shurimane ou uma targonense que ia ser gg que ate pega o gancho da kayle e morgana, 2 demacia, em churima, ba faz sentido, mas não me mete um demaciano em shurima depois das guerras runicas, 3, inventa alguma coisa para que ela não simplismente de um tp e apareça em zaum, mete uma zoe no meio, uma yummi, ou pode fazer essa historia acontecer em algum outro lugar em shurima(como nerimazeth), perto de targon, senão ela vai ter que caminha pelo deserto cheio de skarner e chogaf e xerafs ate chegar em zaun, assim, isso é apenas uma sugestão de alguem que gosta da historia do lol, se quiser seguir, aconselho, se não quiser, ta no seu direito, ou se quiser fazer melhor que eu sugeri, ta livre filão

tava lendo melhor, soraka não é mãe de ninguem, ela é fela da **cogumelo do Teemo**, taca cometa pra pega vida dos outros, fica falando que não vai te salvar, fica te chingando (so mam soraka, conheso as falas daquela bichinha), ela pode ser muitas coisas, ambulancia, feedadora, doc, bananeira, bode, mas uma coisa que ela não é é uma mãe, acho mais facil a soraka matar um bebe do que salvar um, comfia em mim, taca ai outro personagem mãezona que é gg, comfia em mim

A primeira coisa que fiz foi buscar a palavra banana... Só encontrei babaneira, e foi em um comentário, dessa vez passa.
Da próxima é na saída do recreio.

Valeu pelas dicas, quiz fazer uma coisa mais genérica (queria juntar ela e a Soraka o mais rápido possível), pq tava pensando em focar no próximo capítulo onde coloco a Sivir como uma órfã de descendência Real Shurimane (sem que ela saiba disso, que nem na lore oficial) que foi levada por vários lugares até acabar fugindo e encontrando um lar em Zaum (diferente da lore oficial), mas ainda quero ler bastante da história do jogo pra conseguir encontrar ligações melhores. E eu estava pensando em algo como: Quando ela crescer, depois de ter passado anos em Zaum, ela se torna uma mercenária, faz muitas viagens pelo mundo, conhece outros campeões, também desenvolve um fascínio por dinheiro (como na lore atual), ganha uma certa fama que chama a atenção da Cassiopeia, é traída ("mas que inesperado"), é salva pelo Azir, descobre sua descendência e é forçada a tomar uma decisão, entre outras coisas.

Quanto a lore da Soraka, vou desenvolver melhor quando ela for falar de si mesma, por isso comecei usando uma narrativa de outro personagem, por carta, para criar uma história mais direta, mas eu vou pensar sobre como fazer a próxima mais elaborada (a parte da árvore ficou bem "nonsense" mesmo, rsrs), tmj!

kkkk, eu sou main Soraka tbm e de fato é maravilhoso tiltar o time inimigo com ela com um one shot invertido (healar o life do adc inteiro de uma vez), na história eu quis fazer algo diferente, já que ela tem essa temática de curar, ajudar e proteger os outros, pensei em colocar ela como uma personagem "mãezona" (já que não temos um campeão assim no LoL), e quando pensei em colocar ela como mãe, já me veio em mente as Crianças Perdidas de Zaum (Jinx, Vi, Ekko, e outros que só tem na lore), colocar a Soraka como uma "mãe" delas poderia ser muito interessante, porque já junta com os esforços do Ekko de querer mudar essa reputação ruim de que "Zaum é uma Piltover ruim", e com a motivação da Soraka de querer ajudar os mais fracos e necessitados, acho que essa ideia pode ser muito mais explorada ainda!
Ela também pode interagir com o novo Warwick (já que na história dele atual, ele não conhece ela, diferente da antiga), e com outros personagens, fora que ela poderia ser uma andarilha antes disso e ter participado de muitos eventos.
E pra não deixar de lado, quero fazer ela ajudar Ionia na luta contra Noxus (a que aconteceu e a que vai acontecer), mas ainda vou ver como fazer isso.

Ver Resposta em Destaque no post original