cancelar
Showing results for 
Search instead for 
Do you mean 
SiperTheFox
Aronguejo
Aronguejo

Pan Jing, a Monge Peregrina[Conceito de Campeã]

  • Informações...
Spoiler
"Calma e disciplina são as principais virtudes de um guerreiro que, quando se obtém isso, poderá fazer o inimaginável em combate. Há muito tempo, já fui uma jovem impulsiva, temperamental, impaciente, e isso quase me fez desistir das artes marciais. Por sorte, um antigo mestre da ordem me deu uma segunda chance, me treinando por maior parte do tempo a respeito de minha paciência, que foi um dos fatores chaves de eu ter finalmente me tornado uma mestra na Ordem Kinkou. Devo muito de minha posição atual a ele, por isso hoje vivo dentro da ordem como um exemplo dos Kinkou: não agir sem pensar, e somente quando for necessário intervir, exatamente como meu mestre fazia. Se sente-se curioso para saber mais sobre essa conduta, sente-se aqui e tome um pouco do meu saquê. Cuidado, é um pouco forte, mas vai te deixar um pouco calmo."

Mesmo sendo de uma tribo vastaya pacífica, a natureza inquieta de Pan Jing a fez viajar para longe de seu lar para que pudesse demonstrar sua força sendo uma mestra de artes marciais - que poderia ter sido tornado realidade em sua juventude se não fosse parada justamente pelo mestre Yun, que a ofereceu a oportunidade de melhorar suas habilidades e caráter se unindo à Ordem Kinkou. Após anos de correção de atitude, Pan Jing se tornou um exemplo à comunidade ioniana para calmaria e disciplina durante combates arduosos. Agora, ela vaga por Ionia procurando reunificar a ordem e preservar o equilíbrio, pregando palavras de tranquilidade e persistência, ao mesmo tempo que ensinando os aldeões a lutar, mesmo quando estão em épocas de paz. Em jogo, Pan Jing é uma colossa de dano físico que tem capacidade de lidar perfeitamente em confrontos muito próximos, e é focada principalmente na sua habilidade de cancelar habilidades inimigas, de se esquivar de dano, e poder causar uma grande quantidade de dano, mas com o custo de que essa campeã exige certo nível de habilidade no jogo para ser usada perfeitamente, especialmente por sua mobilidade limitada.

 

  • Detalhes...

 

Spoiler

Nome: Pan Jing

Sexo: Feminino

Espécie: Vastaya

Facção(oes): Ailures(clã de nascença), Ordem Kinkou(Ionia)

Classe(s): Colossa

Dano principal: Dano Físico

Vida: 590 - 2240

Reg. Vida: 7.25 - 20.3

Energia: 200

Reg. Energia: 50

Alcance: 125

Dano Físico: 67.5 - 143

Vel. Ataque: 0.675(+0 - 50%)

Armadura: 40 - 88.5

Res. Mágica: 32.1 - 53.2

Vel. Movimento: 340

 

  • Habilidades...

[Passiva] Golpe surpresa  [TdR: 10 seg.]

Ao atacar um inimigo canalisando uma habilidade com um ataque básico, Pan Jing causa 20/40/60(baseado no nível) de dano físico bônus e força o cancelamento da habilidade.

 

 

[Q] Contusão  [Custo: 100/90/80/70/60]  [TdR: 15/13/11/10/9 seg.]

Pan Jing saca seu cajado e, nos próximos 0.5/1/1.5/2.5/3.5 segundo(s), dando um aumento de 95 de alcance a seus ataques básicos que também causam 30/40/50/60/70% de dano físico bônus.

 

[W] Defesa de Aço  [Custo: 30]  [TdR: 5/4/3/2/1 seg.]

Pan Jing concentra sua força para se defender de ataques, assim absorvendo 20/30/40/50/60% do dano recebido e acumulando-o. Caso conjure a habilidade no exato momento em que um ataque atingi-la, Pan Jing absorve e armazena 100% do dano, além de deixar o inimigo desarmado por 0.2/0.5/0.9/1.2/1.5 segundo(s). Pan Jing recupera 20/30/40 de energia(baseado no nível) ao bloquear um ataque básico ou habilidade, e o dobro caso consiga fazer com êxito.

 

[E] Golpe de Chi  [Alcance: 470]  [Custo: 80] [TdR: 20/18/16/14/12 seg.]

Pan Jing concentra sua energia espiritual num golpe de aura, que ataca em cone à frente e atrás dela e causa 68/70/72/74/76(+90% de PdH) de dano mágico. Todo o dano absorvido por "Defesa de Aço" é consumido ao utilizar essa habilidade para aumentar seu dano.

 

[R] Uma Dose de Casa  [TdR: 120 seg.]

Pan Jing toma uma bebida do pedaço de bambu em seu cinto, ficando no estado "Embriagada" por 5/7/10 segundos. Enquanto neste estado, Pan Jing recebe 20% de lentidão e sofre duas vezes mais de dano, mas ganha 30/50/70% de velocidade de ataque, ataques básicos diminuem em 40% a velocidade de movimento de inimigos, e 30% de chance de se desviar de ataques básicos.

 

 

  • Biografia...

 

Spoiler

Como já é de conhecimento comum, a comunidade vastayesa costuma viver longe da comunidade humana devido ao medo de serem repreendidos, especialmente pela sociedade ioniana que, apesar de tudo, consegue ser bastante separatista em casos isolados. Entretanto, sempre tem algum jovem vastayes que desafia a tradição e a moral de seus mais velhos e procura acabar com esse medo - e um destes jovens foi Pan Jing.

Nascida na vila Ailures - uma vila ao norte de Navori que abriga um clã de vastayeses com aparência de pandas -, Pan Jing era uma das praticantes de artes marciais mais promissoras mesmo durante sua juventude, porém mesmo assim, ela não se encaixava direito em seu clã que, embora treinassem frequentemente artes marciais, raramente chegavam a utilizar suas habilidades, devido a serem acostumados com o estilo de vida pacifista.

Por causa de sua natureza impaciente, Pan Jing queria se provar a todos de seu clã que ela era melhor que os outros, e isso a fazia constantemente desafiar seus colegas de treinamento que, por ela passar muito de seu tempo treinando do que somente descansando, a fez melhorar suas técnicas de combate muito mais eficientemente do que os outros, ao ponto até mesmo de superar a dos mestres de seu vilarejo quase que sem nenhum desafio.

Cansada de testar suas habilidades só com os membros de seu clã, Pan Jing decidiu partir do vilarejo para provar suas habilidades. Vendo que a jovem tinha potencial, o líder do vilarejo entregou um presente para que ela se lembrasse de onde veio.

Por dias, Pan Jing vagou por Ionia, procurando por finalmente algum lugar que ela poderia demonstrar sua real força. Algum lugar onde realmente não poderia ser fácil se tornar a melhor em alguma coisa. Foi então que ela, através de um adversário que encontrou pelo seu caminho, que ela conheceu o local onde seria seu local de treinamento: o templo da Ordem Kinkou.

Ao chegar lá, Pan Jing desejou que fosse treinada por lá, já que soube que tal clã era um dos melhores de Ionia. Obviamente, os mais velhos do templo achavam aquilo era uma ofença às tradições da ordem, mas decidiram dá-la uma oportunidade, e logo mandaram seus discípulos para testá-la num combate - que assim como o adversário anterior, ela conseguiu vencer o teste sem muitas complicações.

Vendo nela um prodígio, os mestres decidiram introduzí-la á ordem como aprendiz, para que assim pudesse melhorar suas habilidades.

Conforme o seu tempo na ordem, os sábios da ordem consideravam cada vez mais que tinha capacidade de se tornar mestra em seus anos de juventude, pois conseguia derrotar quase todos os outros membros sem qualquer problema. Para que finalmente conseguissem provar que ela poderia ser uma nova mestra da Ordem Kinkou, enviaram-a a um teste final, lutando contra mestre Yun, o "Olho do Crepúsculo", gerações antes de Kusho.

Por já ter derrotado outros dos mestres a ordem, Pan Jing acreditava que poderia, novamente, derrotá-lo sem problemas.  Porém mestre Yun se demonstrava muito superior em habilidade do que Pan Jing, pois ele rapidamente percebeu que ela era facilmente provocada e, com isso, abaixava sua guarda, o que Yun usava como oportunidade para atacá-la e, eventualmente, derrubá-la.

Humilhada, mas não desistente, Pan Jing decidiu tentar de novo e, outra vez, foi derrotada por Yun, que utilizou a mesma estratégia.

Depois de várias tentativas e várias derrotas, Pan Jing começou a duvidar até mesmo de suas habilidades em artes marciais, perto de desistir de lutar para sempre. Porém, ela mesmo com essa incerteza, continuava treinando, seja lutando com os outros acólitos ou sozinha, quebrando troncos de bambu ou até mesmo rochas - e tal treinamento a fazia liberar um pouco de sua raiva, ao mesmo tempo que fazia seus socos e chutes mais fortes, como permitia sua pele ficar tão resistente quanto aço. Mas mesmo assim, isso não parecia o suficiente, pois o jeito que ela sentia Yun lutando, parecia como se os esforços dela valessem de nada.

Mesmo que soubesse de que seu dever sagrado não o permitia escolher lados ou auxiliar alguém diretamente, Yun pôde ver talento na jovem vastaya e, longe da vigia da Ordem Kinkou, o mesmo decidiu treiná-la para que conseguisse, se tivesse êxito, finalmente derrotá-lo. Mesmo com um pouco de rancor pois queria treinar sozinha para derrotá-lo, ela decidiu aceitar.

Quando começou a treinar, Pan Jing esperava que ele lhe ensinasse técnicas de combate misteriosas pois achava que seria esse o motivo dele a derrotar, mas ele se concentrou mais em meditações com o propósito de fazê-la se acalmar, e quando ela percebeu, confrontou seu mentor, que a demonstrou que, embora ela realmente fosse uma lutadora habilidosa, lhe faltava paciência e disciplina, especialmente pois suas técnicas pareciam mais serem utilizadas por desespero - e que, caso aprendesse a se manter calma durante o combate, poderia elevar seu potencial mais ainda.

Finalmente conseguindo entender o motivo de seu fracasso, ela decidiu dar ouvidos ao seu mentor.

Mesmo que o treinamento seja principalmente só para que Pan Jing aprendesse a lutar com disciplina e paciência, para ela era uma perda de tempo, pois até o presente momento acreditava que uma luta tinha de acabar rápido, portanto não teriam de pensar muito num confronto. E esse erro continuava a confrontá-la sempre que tentava enfrentar seu mentor em treinamento.

Esse comportamento explosivo dela não parecia melhorar muito conforme o tempo se passava, mas foi num certo dia, que ele decidiu arriscar numa outra forma dela finalmente começar a se acalmar. Como ela não parecia ter nunca estado num grau específico de calma para meditar e se concentrar com êxito, Yun decidiu utilizar de uma forma alternativa para ela se acalmar: um chá. Pan Jing não entendia do por que de pararem seu treinamento para algo que ela julgava trivial, mas mesmo assim decidiu aceitar.

O chá que tomaram era forte o suficiente para acalmar os nervos num gole, e fazer qualquer pessoa descuidada ao ponto de tomar uma xícara inteira de uma vez a cair no sono. Yun tomou goles, para que evitasse cair no sono, já Pan tomou a xícara inteira, mas não parecia cansada, o que deixou o mestre um pouco confuso, mas isso respondeu sua pergunta de como ela não parecia se acalmar durante seu treinamento.

Pan Jing agradeceu seu mestre pela pausa, mas mesmo assim gostaria de voltar a treinar. Logo, uma ideia veio a mente de Yun: perguntar a ela o que ela geralmente faz para se acalmar. Assim, a jovem vastaya tira de seu cinto o que parecia ser uma garrafa feita de um cabo de bambu, e contou ao seu mestre que ela e outros de sua espécie tomavam para que pudessem dormir mais facilmente. Vendo isso, Yun pediu para que ela tomasse um pouco e tentasse meditar novamente.

Como solicitado, Pan Jing tomou um pouco da bebida e decidiu tentar meditar novamente e, como tinha planejado, ela parecia mais engajada neste exercício. E com isso, ele podia finalmente começar a treinar a sua calma com mais efetividade.

Conforme os meses de seu treinamento iam se passando, Pan conseguia progredir mais em conseguir ficar mais calma para melhorar suas habilidades. Embora que por boa parte de seu treinamento ela precisou de seu remédio, ela eventualmente conseguiu alcançar a ideia principal de sua calma, e isso a fez melhorar consideravelmente em combate - e embora precisasse de sua bebida de início, ela eventualmente não precisava mais disso, assim conseguindo fazer sua meditação e melhorar suas técnicas.

Quando acreditava estar pronta para enfrentar seu mentor, Pan e Yun foram a arena de treinamento do templo.

Assim que anunciaram o novo teste de Pan Jing, todos os acólitos e sábios da ordem foram assistir a batalha dos dois, especialmente pois Yun parecia mais interessado do que em todas as anteriores, especialmente pois o mesmo estava levando seu cajado, como se sentisse a possibilidade de passar seu legado.

No começo da luta, ambos ficaram parados enquanto encaravamos um ao outro. Eventualmente, os dois avançaram um contra o outro, trocando socos e chutes enquanto desviavam um dos ataques do outro.

Durante a luta, Yun decidiu usar uma brecha que a vastaya tinha aberto, usando o seu cajado para dar um ataque direto, mas Pan já parecia ter previsto isso, bloqueando seu ataque e desarmando-o, e aproveitando o choque ela conseguiu dar um ataque direto em Yun, que fez o mesmo recuar. Percebendo a oportunidade, Pan decidiu atacar seu mentor que se recuperou e, aproveitando seu avanço, conseguiu desferir um golpe nela.

Vendo que se agisse de forma agressiva não iria conseguir vencê-lo, decidiu se concentrar em seus movimentos, o que a levou a estar na defensiva até encontrar brechas em seu mentor.

Essa estratégia fez a luta demorar muito mais tempo do que deveria ter originalmente, porém por sorte ela estava finalmente entendendo o estilo de luta de seu mestre. Percebendo que já era hora dessa luta acabar, os dois avançaram num último ataque contra o outro.

Enquanto avançavam, Yun percebeu que ela havia aberto a guarda em seu peito e, com isso, decidiu atacar certeiramente ali - entretanto, era exatamente isso que Pan Jing queria que acontecesse. E no momento em que era para seu golpe acertar o peito da vastaya, a mesma rapidamente bloqueou o golpe com seu braço, aproximou-se dele, e revidando com um movimento rápido que criou uma onda de ki, que foi tão forte que arremessou Yun para fora do tatame, assim concedendo a vitória a Pan Jing. A mesma até pensou em comemorar seu feito, mas decidiu por somenter fazer uma reverência ao seu mestre, indicando que estava mais ainda aficcionada ao caminho da calma.

Reconhecendo as habilidades de sua pupilo, mestre Yun decidiu entregá-la o seu cajado, já que ela era digna de ocupar seu lugar assim que ele não pudesse mais assumir. Pan decidiu recusar a oferta, pois o objetivo principal dela era de ficar melhor nas artes marciais, não de tomar para si algo tão importante para o equilíbrio, já que não se via capaz disso. Entendendo isso, Yun somente entregou seu cajado, mas decidiu deixá-la com o cargo de acólita.

Quando Pan recebeu o cajado, Yun deu a ela a missão de andar por Ionia e tentar reunificar todos através do equilíbrio, enquanto procurava sempre reservar um tempo para meditar e alcançar a sua plena serenidade. Pan aceitou a tarefa dando um abraço em seu mestre, pois disse que talvez essa pudesse ser a última vez que eles se veriam.

A partir daquele momento, Pan Jing vaga por Ionia como uma peregrina, espalhando palavras sobre equilíbrio e calma ao redor do arquipélago, numa jornada em busca de unificar as primeiras terras sob tais práticas que durou por anos, chegando até a gerações inteiras, isso sem nem ao menos ela parecer ter envelhecido tanto.

Acreditando que sua jornada parecia ter sido completa, a mesma se manteve isolada para se concentrar em sua meditação e sempre fazer mais de sua bebida para caso de emergência - que, quando se tornou adulta, começou a se sentir embriagada após tomar um pouco.

Durante suas sessões de treinamento, Pan Jing começou a sentir saudades de seu lar, o que a levou a voltar à sua casa, levando todas as lições que aprendeu no templo da Ordem Kinkou para melhorar as habilidades de seus semelhantes.

Chegando lá, a mesma foi recebida com celebrações, pois podiam ver que ela definitivamente havia ficado mais forte do que quando ela saiu. Vendo que eles não pareciam ter mudado desde que saiu, a mesma decidiu dar um passo, e começou a treinar os jovens e até os mais velhos, e isso foi uma experiência relaxante, que a fez se reconectar com sua espécie. 

Com a ajuda de Pan Jing, toda a sua vila havia começado a treinar nas artes marciais, mas dessa vez seguindo todos os ensinamentos que a vastaya havia adquirido de Yun, o que os fez ficarem cada vez melhores neste ramo e lentamente se tornando mais apegados às artes marciais do que somente tratar como um passa-tempo.

Tudo parecia estar indo bem, até que aconteceu o fatídico dia que Ionia conheceu como "A Invasão Noxiana", que foi percebido por ela durante uma de suas eventuais visitas ao templo da Ordem Kinkou, quando ela foi confrontada pelo exército de Noxus, forçando-a a contra-atacar seu inimigo, mesmo quebrando seu juramento de não interferir em nada a menos que perturbe o equilíbrio. Temendo que eles pudessem ter encontrado sua vila, Pan Jing retornou à Ailures.

Chegando lá, ela pode ter confirmação que seu povo não havia sido atacado até o presente momento - mas mesmo assim, ela sentia que algo poderia acontecer e, para evitar isso, ela criou uma guarda para caso eles invadissem o vilarejo, enquanto ela foi sozinha proteger os vilarejos próximos.

Como esperado. uma tropa de noxianos pareciam estar indo em direção ao placídio de Navori por outro flanco, que os levava em direção à sua vila. Para atrasar o exército para que sua tribo estivesse pronta, Pan Jing tomou um gole de sua bebida, e começou a enfrentar os soldados que avançaram contra ela.

Embora estivesse sozinha contra uma unidade inteira, a vastaya conseguiu lutar exemplarmente contra eles até que, de dentro da densa floresta que protegia sua vila, o grupo de guerreiros que ela montou para proteger a cidade foram até ela para ajudá-la no confronto, e não só eles: outros membros de seu vilarejo também foram junto. Com a ajuda deles, Pan Jing conseguiu fazer as tropas recuarem, assim protegendo seu povo.

Mesmo após a derrota de Noxus e o placídio, em maior parte, livre de sua influência, os Ailures perceberam que já não podiam mais se esconder e teriam de continuar ficando mais fortes junto de Ionia e, desde então, eles treinam diáriamente para virarem melhores guerreiros e protegerem seu lar - e percebendo que sua vila já havia absorvido seus ensinamentos, decidiu retomar sua jornada, especialmente por conta que o conflito fez Ionia se dividir novamente, inclusive após o templo da Ordem Kinkou ter sido tomado pela Ordem das Sombras.

Desde então, Pan Jing vaga pelo arquipélago, procurando refazer seu trajeto em conseguir reunificar Ionia através do equilíbrio. Talvez ela nunca consiga realmente terminar essa jornada, mas pelo menos, ela tenta deixar sua marca, ao ensinar as pessoas sobre o valor de se previnir contra confrontos futuros sem cair em desespero.

E agora que Ionia e Valoran podem estar correndo risco, a mesma também terá de se melhorar, pois até mesmo mestres precisam refinar suas técnicas. Portanto, ela terá de procurar prosseguir com as lições que aprendeu desde o começo de seu caminho, e ensinando as civilizações que se deparar do perigo que se aproxima. Não é hora de se concentrar em lutar pela ordem ou pelo caos, mas sim por uma Ionia segura, e principalmente em perfeita harmonia e equilíbrio.

 

Tags (1)
4 RESPOSTAS
CapivaraAérea
Aronguejo
Aronguejo

No começo isso tava me lembrando uma irelia jax camile, não sei explicar askaoskaosako
mas gostaria de ver isso em jogo, parece ter potencial
GMinosso
Aronguejo
Aronguejo

cara, essa parada de cancelar canalização é boa, porém é limitada para muitos campeões que possuem skills instantâneas, seria interessante ela impedir/sendo imune a todos os tipos de skills, como posso dizer, tipo as furtividades, por exemplo, uma akali usa sua fumaça, ou seja ela canaliza, e a fumaça tem um tempo de duração absurdo, mas com a passiva da Pan Jing ativa, um atk básico na akali (mesmo ela na fumaça, aí que digo, ela vê o champ de qlq jeito, mas somente ela) daí então a fumaça termina.. mesma coisa pro fizz usando o E, ele fica invunerável, mas não para Pan, se o fizz usa o 1º ativo e fica parado no ar, e ela dar um atk básico (msm ele invulnerável) ele não toma dano, mas cancela a 2ª conjuração q é oq da dano, esses tipos de canalização iriam ser interessante, porém quebrado tbm kk.
Mas é isso, gostei da ideia!!
Bikman
Arauto
Arauto

Muito Bom, Parabéns!!! Me lembrou um pouco os Monges de RPG que criei, gostei muito da mecânica de "desarme" seria legal ver em jogo. Belo trabalho !!!
Doberstein
Tropa
Tropa

Achei bem bosta